guerra na síria

Mais de 20 rebeldes mortos pelas forças do regime na Síria

A província de Idleb é o grande bastião insurgente e jihadista do país e está na mira do regime de Bashar al-Assad, que quer recuperar todo o território.

As forças do regime sírio mataram, esta sexta-feira, 22 rebeldes perto da província de Idleb, numa área que está a ser desmilitarizada sob um acordo russo-turco, segundo o Observatório Sírio de Direitos do Homem (OSDH).

Este foi o ataque mais violento nesta região do noroeste do país, em guerra desde o anúncio, a 17 de setembro, de um acordo entre a Rússia e a Turquia que prevê uma "zona desmilitarizada" cobrindo áreas da província de Idleb e de outras regiões vizinhas, de acordo com a organização.

Os combates começaram quando as forças do Governo tomaram uma posição controlada pela fação rebelde Jaïch al-Izza numa área rural no norte da província de Hama, precisou a mesma fonte.

O acordo alcançado entre Moscovo, aliado do regime de Bashar al-Assad, e Ancara, apoio dos rebeldes, permitiu repelir uma ofensiva do exército sírio em Idleb.

A "zona desmilitarizada" deve servir como área intermediária entre os territórios insurgentes de Idleb e aqueles mantidos pelo regime em torno dela.

O acordo deveria entrar em vigor em meados de outubro, mas no terreno algumas disposições não foram respeitadas e os confrontos opõem regularmente as forças do regime contra rebeldes e jihadistas.

Desde o seu início, em 2011, o conflito já fez mais de 360.000 mortos na Síria e levou milhões de civis ao exílio.

  COMENTÁRIOS