Moçambique: trabalho infantil atinge mais de um milhão de crianças

As áreas que captam maior mão-de-obra infantil são a agricultura e o comércio. A pobreza das famílias é a principal causa.

Mais de um milhão de crianças estão sujeitas a trabalho infantil em Moçambique, informa um estudo do Ministério do Trabalho, Emprego e Segurança Social de Moçambique, conduzido pela Universidade Eduardo Mondlane.

Os resultados foram divulgados esta segunda-feira pelo diário moçambicano O País. De acordo com o estudo, realizado por um grupo de investigadores da Universidade Eduardo Mondlane, dos 12 milhões de crianças em Moçambique, mais de um milhão estão envolvidas em trabalho infantil.

A agricultura e o comércio são apontados como os setores que registam mais casos de trabalho infantil. Há ainda muitas crianças envolvidas nas áreas da caça, pesca, prostituição e atividades domésticas remuneradas.

A pobreza das famílias é apontada como a principal causa do trabalho infantil em Moçambique.

A pesquisa envolveu crianças entre os 11 e os 17 anos, de nove das 11 províncias do país. O estudo revela que que 44% das crianças se envolvem no trabalho infantil por dinheiro, 32% por querer ajudar a famílias e 11% por falta de ocupação.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de