Crónica Acontece no Brasil

Os idosos acrobatas de São Paulo

Grupo de 14 homens e mulheres com mais de 60 anos diverte-se a fazer pirâmides humanas e a andar em trapézios, na pequena Mirassolândia.

O exercício físico não só faz bem à saúde como é recomendado a pessoas de todas as idades. É uma daquelas verdades que, de tão repetida, cansa. Cansa quase tanto como o próprio exercício, diga-se de passagem.

Em Mirassolândia, perto de São José do Rio Preto, cidade no norte do estado de São Paulo, a dona Rosemary, para lá dos 60, e a dona Maria, já nos 70, com início de uma depressão, que chegou com a idade, com a reforma, com a ausência dos filhos já casados, resolveram dar ouvidos a essa lenga-lenga.

Pensaram em jogging. Numas corridinhas. Em bicicleta. Talvez natação. Mas a todas as hipóteses as duas torciam o nariz.

Descobriram então o grupo Superidosos, nada menos do que um conjunto de 14 pessoas, para lá dos 60 e até aos 80, que faz... acrobacias.

E hoje lá estão elas, Rosemary, Maria e mais 12 amigos a pularem nos ombros uns dos outros, a desfilarem por trapézios e encaixados em pirâmides humanas.

Conta o treinador Fagner Rodrigues que começou por incutir coragem ao grupo e dizer "você consegue", "você consegue". Hoje o trabalho é o oposto: "Tenho de lhes pedir para irem mais devagar, para se conterem".

Os Superidosos fazem apresentações pelo estado de São Paulo conhecem gente e lugares novos e no ano que vem uma produtora vai mesmo lançar um documentário sobre o grupo, realizado pelo cineasta Alexandre Estevanato, que já anda a gravar as acrobacias de Rosemary, Maria e companhia.

E não cansa repetir: o exercício físico não só faz bem à saúde como é recomendado a pessoas de todas as idades.

O correspondente da TSF no Brasil, João Almeida Moreira, assina todas as quintas-feiras no site da TSF a crónica Acontece no Brasil.

  COMENTÁRIOS