tufões

Portugal admite ajuda às Filipinas se houver pedido formal

O ministro Aguiar Branco indicou que ainda não houve nenhum pedido formal por parte do governo filipino e que se vier a haver este será «analisado».

O Governo português admite ponderar uma ajuda às Filipinas por causa dos estragos provocados pelo tufão Haiyan, mas apenas se houver um pedido formal por parte de Manila.

O ministro da Defesa lembrou que «ainda não foi solicitada qualquer ajuda e se vier a ser solicitada será avaliada».

«Sempre tivemos atitudes e intervenções de caráter solidário, mas até este momento não foi pedida nenhuma intervenção a esse nível», adiantou José Pedro Aguiar-Branco.

O titular da pasta da Defesa sublinhou ainda que Portugal não é obrigado a «nenhuma ação especial» caso não seja pedida a ajuda por parte do governo filipino, «até porque pode não ser necessário».

«Não vamos por nossa iniciativa se não for necessário. Se houver um pedido nesse sentido será avaliado no espírito de solidariedade que temos e dentro das condições que possamos ter para poder satisfazer esse pedido», concluiu.

Notícias Relacionadas