Economia

Presidente da Oxfam Internacional detido na Guatemala por alegada corrupção

Outras nove pessoas foram detidas, incluindo o ex-presidente da Guatemala, Álvaro Colom.

O presidente da Oxfam Internacional, o ex-ministro das Finanças guatemalteco Juan Alberto Fuentes Knight, foi hoje detido, juntamente com o ex-presidente do país, Álvaro Colom, acusados de participação num caso de corrupção durante o governo que integravam (2008-2012).

Fuentes Knight, nomeado presidente da Oxfam Internacional em 2015, está acusado de participar no caso Transurbano, modelo de transporte urbano implementado no Governo da Unidade Nacional da Esperança (UNE), numa investigação que também levou à detenção de Colom e outros ex-ministros daquele executivo.

As autoridades investigam uma alegada má utilização de fundos neste modelo de transporte e executaram hoje 10 ordens de detenção, onde constam Fuentes Knight e Colom.

O antigo ministro das Finanças, que estudou Economia na universidade de Toronto e se doutorou na universidade de Sussex, foi anunciado como presidente da Oxfam Internacional em 10 de abril de 2015, com o objetivo de levar a organização humanitária para "uma confederação mais global, dinâmica e influente".

Da sua sede em Londres, a Oxfam Internacional indicou que Juan Alberto Fuentes Knight foi "franco" com o Conselho de Administração na investigação, e que "cooperou plenamente".

"No entanto, a Oxfam não conhece a natureza formal das acusações, se há alguma, contra Fuentes Knight. Mesmo assim, ele manifestou-se completamente franco com o conselho e com a direção da Oxfam", disse a diretora executiva da Oxfam Internacional, Winnie Byanyima, num comunicado enviado à Efe.

A organização humanitária britânica viu-se envolvida nos últimos dias num escândalo, depois de ter sido revelado que diretores e colaboradores contrataram prostitutas pouco depous do terramoto que devastou o Haiti em 2010.

O Governo do Reino do Unido ameaçou retirar os fundos públicos à ONG se não colaborar com a investigação.

  COMENTÁRIOS