Internacional

Presidente ucraniano alerta para concentração de forças russas na fronteira

O presidente ucraniano alertou hoje que a Russia concentrou militares e armas ao longo da fronteira entre os dois países quando que cresce a tensão bilateral devido aos recentes incidentes navais no Mar Negro, noticiou a agência Associated Press.

Petro Poroshenko revelou que a Rússia colocou mais de 80 mil soldados, 1.400 peças de artilharia, múltiplos sistemas de lançamento de "rockets", 900 tanques, 2.300 veículos de combate, 500 aviões e 300 helicópteros ao longo da fronteira entre os dois países.

As declarações de Poroshenko foram feitas durante um evento militar local, numa semana marcada pela escalada da tensão entre Rússia e Ucrânia.

Em 25 de novembro, a guarda costeira russa disparou e atingiu navios da armada ucraniana que navegavam no Estreito de Kerch, a única via marítima de acesso ao mar de Azov.

Entretanto, os serviços de fronteira ucranianos anunciaram terem impedido a entrada e a permanência no país a cerca de uma centena de cidadãos russos desde que foi banida a entrada de adultos daquele país na sequência do incidente naval.

Um porta-voz dos serviços fronteiriços declarou à televisão que a maioria dos cidadãos russos impedidos de entrar não conseguiu provar os motivos da visita à Ucrânia. Outros tinham o "visto" de entrada caducado.

Na passada sexta-feira, Poroshenko anunciou que os cidadãos russos, com idade entre os 16 e 60 anos, estavam proibidos de entrar no país durante os 30 dias de lei marcial imposto recentemente.

O objetivo - disse - é impedir que agentes militares russos entrem na Ucrânia no seguimento do conflito naval no Mar Negro.

  COMENTÁRIOS