Primeiros dados dão "curto-circuito" como possível origem do fogo em Notre-Dame

Autoridades francesas iniciaram os interrogatórios ainda na noite de segunda-feira. As investigações concentram-se na estrutura de 500 toneladas que serve de apoio aos trabalhos de restauro da catedral.

As investigações ao incêndio em Notre-Dame começaram logo na noite desta segunda-feira, ainda as chamas lavravam no edifício. As primeiras pistas apontam para um curto-circuito num dos elevadores montados na estrutura de apoio às obras de recuperação.

São cerca de 40 investigadores da Divisão Criminal da Polícia Judiciária de Paris e 12 técnicos forenses quem participa nesta operação cuja principal pergunta é: como é que Notre-Dame se incendiou?

O jornal Le Parisien cita fontes próximas do processo , que reconhecem que esta vai ser uma investigação "longa e difícil". Na noite de segunda-feira foram ouvidos 12 trabalhadores, aos quais se juntaram cerca de 20 guardas, empregados das empresas que estavam a participar na recuperação da catedral, chefes de equipa e membros do staff da catedral.

De acordo com o jornal, as primeiras pessoas a dar conta do fogo foram dois seguranças, que avistaram as labaredas quando estas já tinham cerca de três metros de altura. Os funcionários já entregaram uma fotografia destas primeiras chamas à PJ.

Pouco depois, - cerca das 18h15 (hora de Paris) - disparava o alarme de incêndio no sistema central de segurança da catedral. Aqui terão começado os problemas: um bug no sistema terá indicado uma localização errada aos guardas, erro esse que poderá ter afetado a intervenção dos bombeiros.

Há, para já, uma certeza: o fogo começou na base do pináculo de Notre-Dame - que acabou por cair - na zona que está virada para o Sena. Quando os seguranças chegaram ao local, através do elevador, já era tarde demais para intervir de qualquer forma.

Os investigadores seguem agora as pistas que apontam para um problema elétrico nos andaimes. "Pode ter havido um curto-circuito", disse fonte próxima da investigação. "Os investigadores estão neste momento concentrados nos elevadores que foram montados para as obras de recuperação", completou.

A estrutura de apoio às obras de restauro, montada em volta do pináculo, pesa cerca de 500 toneladas e é apoiada por três elevadores. De acordo com o Le Parisien, esta estrutura tem três níveis: o primeiro está 24 metros acima do chão, o segundo está a 54 metros de altitude e o último era coincidente com o topo do pináculo.

Além disto, dois dos três elevadores que servem a estrutura já estavam em funcionamento na última quinta-feira, quando foram retiradas 16 estátuas de bronze da estrutura da catedral.

"As regras e dispositivos de segurança foram respeitados", assegurou à BFMTV Julien Le Bras, diretor da empresa responsável pela estrutura, a European Scaffolding.

Esta não é, no entanto, a única hipótese colocada em cima da mesa, embora os trabalhos de soldadura já tenham sido descartados como possível causa do incêndio. Nas próximas horas e dias, vários drones vão sobrevoar a catedral com o objetivo de descobrir mais pistas quanto ao que se terá passado.

LEIA AQUI TUDO SOBRE O INCÊNDIO EM NOTRE-DAME.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de