Mais de 100 detidos em Bruxelas. Canhões de água e granadas em repostas a petardos de coletes amarelos

Protesto dos coletes amarelos em Bruxelas originou alguma tensão com a polícia. Nas ruas de Bruxelas ouviram-se apelos para uma nova manifestação na sexta-feira, dia de Cimeira Europeia.

A manifestação dos coletes amarelos em Bruxelas subiu de tom ao final da manhã de sábado com a polícia a ser obrigada a intervir perante a agitação dos manifestantes em frente à sede do governo.

Os manifestantes lançaram petardos e bombas de fumo o que levou a policia a reagir com gás lacrimogéneo e canhões de água, conforme presenciou a reportagem da TSF no local.

Durante os protestos, os coletes amarelos apelaram também a uma manifestação para a próxima sexta-feira, dia de Cimeira Europeia e que contará com a presença de Emmanuel Macron.

A polícia belga deteve, este sábado, mais de uma centena de pessoas em Bruxelas na sequência de controlos preventivos feitos junto às estações ferroviárias de Midi e Gare Central, locais de chegada de muitos coletes amarelos oriundos de outras localidades belgas, para participar nos protestos em Bruxelas.

A manifestação dos coletes amarelos foi convocada nas redes sociais mas sem contornos muito definidos.

A polícia decidiu, ainda assim, montar um forte dispositivo de segurança em vários pontos da cidade, e sobretudo em torno das instituições da UE, em virtude de várias convocatórias apontarem para um "protesto europeu" na rotunda de Schuman.

Esta nova ação de "coletes amarelos" na capital da Bélgica e da União Europeia - que não foi autorizada, até porque não chegou qualquer pedido formal - ocorre paralelamente a um novo grande protesto que decorre em Paris, e pouco mais de uma semana depois de uma primeira manifestação em Bruxelas a "replicar" aquelas que decorrem há já mais de três semanas em França, e que ficou marcada por desacatos.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de