Soam de novo as sirenes em Gaza. Israel interceta ataque com rockets

Hamas já rejeitou a autoria do ataque.

É a primeira vez desde 2014 que as sirenes de aviso de ataque aéreo soam em Telavive e nas localidades junto à Faixa de Gaza.

Esta quinta-feira, a defesa antiaéreo israelita precisou de entrar em ação para destrui dois rockets lançados a partir da Faixa de Gaza. Para já, não há conhecimento de quaisquer vítimas, mas uma fonte militar israelita já adiantou que o ataque está a ser investigado.

Vários canais de televisão mostraram imagens nas quais é possível ver mísseis a serem detonados em pleno voo. Apesar da ativação do escudo antiaéreo, os militares israelitas garantem que nenhum míssil foi desmantelado ou detonado sobre zonas construídas.

"Isto foi uma surpresa", disse o porta-voz israelita, o Brigadeiro-General Ronen Manelis, à rádio estatal. Segundo o militar, Israel não tinha conhecimento nem estava avisado pelos seus serviços secretos de qualquer ataque com rockets.

"Não sabemos quem é o autor", disse Manelis, que adiantou que "o Hamas é a principal organização na Faixa. É a responsável pelo que lá acontece e pelo que de lá emana."

Entretanto, a aviação israelita já respondeu a este ataque, lançando um bombardeamento sobre dois postos de segurança do Hamas, localizados nas zonas Norte e Sul de Gaza. A organização já rejeitou, no entanto, qualquer responsabilidade por este ataque.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de