EUA

Sobem para treze as mortes nos Estados Unidos devido à tempestade Florence

Números são avançados pela CNN na manhã deste domingo.

Pelo menos treze pessoas terão morrido na sequência da passagem do furacão Florence pelos estados da Carolina do Norte e Carolina do Sul, nos Estados Unidos da América, segundo avança a CNN.

Dos 13 mortos que compõem o balanço ainda provisório, dez pessoas morreram na Carolina do Norte e três outras na Carolina do Sul.

Na manhã deste domingo, o Florence, que atingiu a costa sudeste dos Estados Unidos perdeu intensidade, sendo agora uma depressão tropical.

Os últimos números, do início da madrugada deste domingo, apontavam para nove mortes, depois de ter sido confirmada pelas autoridades a existência de mais três vítimas.

A primeira destas mortes foi registada na Carolina do Sul foi a de uma mulher de 61 anos cujo carro embateu numa árvore derrubada pelo vento, segundo o porta-voz do departamento de coordenação de emergências daquele Estado, Antonio Diggs.

Outras três pessoas morreram no condado de Duplin, Carolina do Norte, devido a inundações e lençóis de água nas estradas, o que levou as autoridades a decretarem o recolher obrigatório entre as 19 horas locais (23h horas GMT) e as 7h horas (11h GMT).

De acordo com o Centro Nacional de Furacões, a tempestade progride lentamente para o estado da Carolina do Sul, deixando um rasto de chuvas fortes, inundações, ameaças de tornados e um apagão de eletricidade que já afetou cerca de um milhão de habitações.

Segundo a Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou o estado de calamidade na Carolina do Norte, onde, segundo o novo balanço, morreram oito pessoas.

Forças armadas, guarda costeira, equipas de emergência e voluntários recorreram a helicópteros, barcos e veículos pesados para resgatar centenas de pessoas isoladas pelas inundações.

As chuvas torrenciais fizeram já transbordar rios e lagos, com as autoridades a reforçarem os apelos para que as populações abandonem as áreas em risco de inundação.

"O nível das águas está a subir e se não tomarem cuidados estarão a colocar em risco as vossas vidas", alertou o governador da Carolina do Norte, Roy Cooper.

  COMENTÁRIOS