Na Alemanha já se pode "alugar um judeu"

Os alemães que queiram ter um judeu lá em casa, já podem ter um. A ideia parece polémica e chama a atenção, mas o objetivo é combater promover o diálogo intercultural e o anti-semitismo.

Encontros cara-a-cara com judeus a viver na Alemanha. É isto que a iniciativa promove.

"Queríamos relaxar um pouco as coisas e retirar qualquer melindre logo desde o início" conta Alexander Rasumny, um dos organizadores da iniciativa à NBCNews.

Daí o nome-choque do projecto promovido pela Janusz Korczak Academy.

Com os partidos de extrema-direita a ganhar terreno em vários países europeus, e com o anti-semitismo a regressar ao centro do continente, os organizadores consideram que estes encontros são uma oportunidade importante para se ultrapassarem preconceitos e podem até servir como "mecanismo preventivo de longo-prazo".

Os judeus que podem ser "alugados" não são comunicadores profissionais, antes voluntários de idades e origens diferentes que vão a escolas, universidades e igrejas.

De graça.

"Com estes encontros entre cidadãos judeus e não-judeus, vamos para além dos clichés e dos estereótipos, e permitimos que as pessoas falem umas com as outras em vez de umas falarem sobre as outras" diz Rasumny.

Na Alemanha há mais de 200 mil judeus, mas a maioria das pessoas daquele país "nunca se encontraram com um judeu", garante Rasumny.

A NBC News falou ainda com um porta-voz do Ministério da Justiça alemão que diz que em 2015 foram registados 2.083 casos de ataques a judeus ou discursos de ódio contra os judeus, este número compara com os 691 casos registados no ano anterior.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de