Parlamento britânico chumba pela terceira vez acordo sobre Brexit

Theresa May tem agora até 12 de abril para evitar um Brexit desordenado.

O parlamento britânico voltou a chumbar o acordo de Theresa May para o Brexit , por uma diferença de 58 votos. ​

O 'sim' pela saída a 22 de maio teve 286 votos e o 'não' 344.

Theresa May anunciou esta quarta-feira que abandonaria o cargo de primeira-ministra caso o acordo fosse aprovado, já disse que vai "continuar a lutar" pelo Brexit.

"As implicações desta decisão são graves (...) temo que estejamos a chegar aos limites deste processo", disse a primeira-ministra britânica na sequência do chumbo, anunciando que o Parlamento vai na próxima segunda-feira votar uma série de alternativas para tentar encontrar um novo plano.

Já o líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn, pediu de imediato eleições antecipadas.

May tem agora até 12 de abril para dizer à União Europeia o que quer fazer agora, podendo cancelar o Brexit, pedir um adiamento mais longo ou sair do bloco europeu sem acordo.

Europa espera saída caótica

À luz da decisão, Donald Tusk‏ convocou um Conselho Europeu extraordinário para dia 10 de abril, anunciou o próprio no Twitter:

Uma saída desordenada do Reino Unido da União Europeia é agora "o cenário provável" , assumiu a Comissão Europeia, indicando que o bloco comunitário está "plenamente preparado" para um Brexit sem acordo no dia 12 de abril.

"A União Europeia vai manter-se unida", escreveu o executivo comunitário em comunicado, lembrado que que "em nenhuma circunstância" os benefícios contidos do acordo serão "replicados" no caso de uma saída caótica. "Pequenos acordos setoriais não são uma opção".

Bernardo Ivo Cruz, editor da London Brexit Monthly Digest ex-presidente da Câmara de Comércio portuguesa no Reino Unido, diz à TSF que não ficou surpreendido com a decisão.

Na bolsa, o efeito do 'não' foi imediato com a libra a cair a pique face ao dólar e ao euro, logo depois da votação:

Esta manhã, centenas de pessoas manifestaram-se em frente ao Parlamento.

O que diz este acordo?

O Acordo de Saída, de 585 páginas, estabelece os termos da saída do Reino Unido da UE para que se faça de forma ordenada e estabelece um quadro jurídico quando os Tratados e a legislação da UE deixarem de se aplicar ao Reino Unido.

Inclui um protocolo para a Irlanda do Norte, um capítulo sobre os direitos dos cidadãos europeus no Reino Unido e britânicos residentes na UE, um período de transição até ao final de dezembro de 2020 e o pagamento de uma compensação financeira pelo Reino Unido pelas obrigações assumidas enquanto membro da União Europeia, cujo valor o governo britânico estima ser entre 35 e 39 mil milhões de libras (40 a 45 mil milhões de euros).

O documento foi chumbado a 12 de março com uma diferença de 149 votos, repetindo o chumbo de janeiro por uma margem histórica de 230 votos.

LEIA AQUI TUDO SOBRE O BREXIT

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de