Cinco mortos, autoridades suspeitam de ataque terrorista

Cinco pessoas morreram, há 40 feridos confirmados. Números oficiais, divulgados pela polícia britânica.

O que sabemos até agora:
- Autoridades britânicas confirmam 5 mortos e 40 feridos
- Um policia morreu no ataque
- Uma mulher morreu, acabou por não resistir aos ferimentos
- Alegado autor do ataque foi morto pela polícia, confirmou o líder da Câmara dos Comuns
- Três estudantes franceses feridos no ataque
- Vários feridos na Ponte de Westminster
- Autoridades britânicas estão a tratar o caso como terrorismo
- Theresa May está em segurança
- Parlamento está encerrado por razões de segurança
- Uma pessoa foi resgatada com vida do Rio Tamisa
- Ataque junto ao Parlamento britânico e à Ponte de Westminster

A polícia britânica confirmou a existência de quatro mortos e pelo menos 20 feridos na sequência do ataque nas imediações do Palácio de Westminster, onde se situa o parlamento britânico. Vários tiros foram disparados no local e houve também um atropelamento em massa na Ponte de Westminster.

Mark Rowle, da Polícia Metropolitana de Londres, explica o que aconteceu

00:0000:00

Numa declaração à comunicação social, a polícia esclareceu que entre os mortos estão dois civis, um polícia e o autor do ataque.

Segundo a mesma fonte, as autoridades acreditam que houve apenas um atacante envolvido mas lembram que esta é uma investigação em curso e, por isso, não descartam outras possibilidades.

Até ter mais informações, a polícia está a tratar o incidente como um ataque terrorista e elevou o nível de alerta para o segundo mais elevado no país. A primeira-ministra Theresa May convocou uma reunião do comité de emergência (Cobra), que inclui os principais ministros, para analisar o ataque desta quarta-feira.

Numa breve declaração à imprensa feita a meio da tarde, o porta-voz da Polícia Metropolitana de Londres, B.J. Harrington, disse que a Unidade Contra Terrorismo está a investigar o caso e adiantou que as autoridades reforçaram a presença na cidade. O oficial confirmou ainda que uma pessoa foi retirada do rio, que um carro atropelou várias pessoas na Ponte de Westminster e ainda a existência de um homem armado com uma faca nas imediações do parlamento.

Segundo vários relatos, incluindo o do líder da Câmara dos Comuns, David Lidington, um homem com uma faca foi visto nas imediações do Palácio, tendo esfaqueado um polícia no local.

O polícia não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer. O alegado autor deste ataque acabaria por ser morto a tiro pela polícia, adiantou David Lidington que deu também conta de "relatos de incidentes violentos nas redondezas" do parlamento.

O parlamento foi encerrado pouco depois de se ouvirem os disparos. A primeira-ministra Theresa May, que se encontrava no local para um debate, foi retirada em segurança. Nas primeiras horas após o incidente, os deputados permaneceram confinados ao interior do edifico mas começaram entretanto a ser retirados do local.

De acordo com a polícia, o atacante dirigiu-se para o palácio de automóvel. Ao atravessar a Ponte de Westminster, atropelou várias pessoas e acabou por ir embater numa das vedações de segurança do Palácio que é contíguo à Ponte. Desta situação resultaram dois mortos e pelo menos 20 feridos, entre os quais um grupo de estudantes franceses, três dos quais foram levados para o hospital.

A polícia criou um perímetro de segurança nas ruas circundantes, também para facilitar a passagem das equipas de socorro, e apelou à população para que se mantenha afastada daquela zona de Londres. As autoridades estão também a pedir a quem tiver informações, fotografias ou vídeos que possam ajudar nas investigações a entregá-los às autoridades.

A estação de metro de Westminster foi encerrada a pedido da polícia. Também a atração turística London Eye foi encerrada. Várias pessoas tiveram de aguardar várias horas dentro as cabines até poderem ser retiradas em segurança do local.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de