Procurador-Geral do Brasil abre a porta a uma investigação a Dilma Rousseff

Rodrigo Janot diz que ninguém está livre de ser investigado, no seguimento da divulgação do telefonema polémico entre Dilma e Lula da Silva.

O Procurador-Geral do Brasil parece não recuar mesmo quando está em causa uma investigação à Presidente do Brasil. Em causa, e muito por força da divulgação de um telefone entre Dilma Rousseff e Lula da Silva, estão suspeitas de tentativa de obstrução da justiça na Operação Lava Jato.

Nesse telefonema, cuja divulgação foi autorizada pelo tribunal, a Presidente brasileira informa Lula da Silva que lhe vai enviar o auto de posse, aconselhando o antigo chefe de Estado a utilizar o documento apenas em caso de necessidade.

Questionado sobre o caso numa viagem à Suíça, Rodrigo Janot respondeu que ser Presidente não impede a existência de um inquérito e que ninguém está imune a uma investigação, conta o jornal Estadão. Ainda assim, o Procurador fez questão de sublinhar que nada está decidido.

Também o Presidente do Supremo Tribunal Federal considera grave o conteúdo do telefonema divulgado. Em entrevista à Rádio Estadão, Gilmar Mendes afirmou que Dilma e Lula têm de se explicar, acrescentando que acredita que esta nomeação do antigo chefe de Estado tem por objetivo fugir à justiça.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de