Titanic: 4 dias de vida, 100 anos de História (V)

No ano em que se assinala o 100º aniversário do naufrágio do Titanic a TSF relembra, ao longo desta semana, as várias fases da vida do navio considerado na altura como o maior e mais luxuoso navio do mundo. Hoje resumimos os pormenores que, ao longo de 100 anos, deram outra vida ao Titanic.

No dia 10 de Abril de 1912, ao meio dia em ponto, o Titanic soltava amarras no porto de Southampton, em Inglaterra, e partia para a sua viagem inaugural, rumo a Nova Iorque, nos Estados Unidos da América.

Iria ser a sua primeira e última viagem já que, 4 dias depois, na noite de 14 de Abril, embateu num icebergue em pleno oceano Atlântico, afundando-se durante a madrugada.

Morreram cerca de mil e quinhentas pessoas, entre passageiros e tripulantes.

Naquela altura, o Titanic foi considerado o maior navio de passageiros do mundo, onde a riqueza imperava. Um dos símbolos da beleza, luxo e esplendor era a imensa escadaria de proa. A cúpula de ferro e vidro refletia a luz natural nas madeiras de carvalho e nas balaustradas douradas. Na parede do patamar superior podia ver-se um painel em carvalho talhado, com um relógio cercado por duas figuras que simbolizavam a honra e a glória. Era por esta enorme escadaria que os passageiros da primeira classe desciam para a sala de jantar.

Todos os gostos dos passageiros de primeira classe eram satisfeitos visto que, nas cabines, existiam oito estilos de decoração diferentes. Em qualquer dos quartos saltava à vista o luxo e o conforto, com móveis de carvalho, painéis esculpidos à mão, uma sala de jantar e casa de banho completa com água quente e fria. Também os quartos de terceira classe eram considerados acima da média para aquela época.

Foi o hotel mais luxuoso do mundo e cada passageiro da primeira classe pagou o equivalente a 80 mil euros para embarcar no navio.

No entanto, este foi um navio com uma vida muito curta, já que se afundou quatro dias depois de ter partido do porto de Southampton, em Inglaterra.

Foram precisos 73 anos para se conhecerem as primeiras imagens do Titanic debaixo de água quando, no dia 1 de setembro de 1985, Robert Ballard, o oceanógrafo norte americano, fez a primeira expedição aos destroços do navio.

Anos mais tarde, também o realizador do filme "Titanic", James Cameron, liderou uma expedição subaquática para fazer registos da proa e da popa do transatlântico.

A última expedição ao local do naufrágio ocorreu em 2004.

Em 1998 James Cameron lançou o filme que contaria a história de um dos maiores naufrágios já ocorridos, numa produção que teve início 3 anos antes quando Cameron fez a primeira expedição ao Titanic no fundo do mar e que teve Leonardo DiCaprio (Jack Dawson) e Kate Winslet (Rose DeWitt Bukater) como principais atores.

15 anos depois ao lançamento do filme, o Titanic volta aos cinemas, agora no formato 3D.

Para marcar os 100 anos do afundamento do "gigante dos mares", foram feitas várias iniciativas um pouco por todo o mundo, sendo uma das mais marcantes o leilão da casa Guernsey's, de Nova Iorque, de 5 mil objetos recuperados dos destroços do Titanic e que deverá render cerca de 200 milhões de euros.

O centenário do naufrágio do Titanic fica ainda marcado pela decisão da UNESCO, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, em proteger os destroços do Titanic a cerca de quatro mil metros de profundidade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de