Açores: a sustentável beleza de um destino único e seguro

Com o relançamento do turismo em marcha, a campanha "Açores - Seguro por Natureza" pretende atrair visitantes a um destino de natureza exuberante e única e que alia segurança e sustentabilidade.

Primeiro arquipélago do mundo com certificação turística sustentável, estatuto conquistado em 2019 com a chancela da Earth Check, os Açores - considerados um dos destinos mais seguros - estão a trabalhar para alcançar o grau dois.

Entre os fatores que justificam a procura turística internacional e que hoje em dia dá preferência a regiões não massificadas de natureza, mais sustentáveis e onde são possíveis experiências marcadas pela autenticidade, entre elas, o contacto imersivo, mas sempre com respeito pelas comunidades locais.

"A recuperação do Turismo será mediada por uma estratégia que alie segurança à sustentabilidade do destino", sublinhou Rosa Costa, diretora regional de Turismo, na apresentação da campanha, realizada em simultâneo para várias das ilhas do arquipélago e onde reina a essência, o espaço e o cuidado.

"Proteger o que é nosso, é seguro por natureza": esta a ideia base do vídeo que suporta a campanha e no qual uma família é protagonista de várias atividades, que constam de um leque único de experiências, afinal, "na natureza nada é estático" e há a certeza de "a vida encontrar sempre a sua rota perfeita para onde quer que o vento nos leve".

Os Açores são "um lugar para novas aventuras, mais liberdade e vida plena", sublinha a campanha, orçada em 100 mil euros, dirigida, nesta fase, para o mercado nacional. Seguem-se, Alemanha, França, Espanha e Reino Unido.

Diversidade é fator relevante

"A retoma vai acontecer já este ano e temos de estar preparados, comunicando com mais força e dando a conhecer o destino. Mostrar que é seguro nesta fase da pandemia", adiantou Carlos Morais, presidente da Associação de Turismo dos Açores (ATA).

"As pessoas querem sentir-se seguras na sua viagem e opção de férias e os Açores pela diversidade das suas nove ilhas conseguem afirmar-se como um destino seguro", sublinha aquele responsável.

Para que tal aconteça, é necessário garantir uma operação turística segura para todos os que viajam para os Açores, Nesse sentido, Carlos Morais sugere que o teste, hoje obrigatório, suportado pelo Governo Regional e repetido após seis ou 12 dias de permanência no arquipélago, continue a ser incentivado após o final do estado de emergência, tendo como contrapartida a entrega de um "voucher" no valor 30 euros para ser utilizado durante a estadia.

"O turismo tem de ser bom para os que cá estão e para aqueles que nos visitam", considera Carlos Morais.<br> Para o presidente da ATA, "a cultura da sustentabilidade tem vindo a ganhar maior expressão. Mas, não basta dizer que somos sustentáveis", alerta.

O trabalho para atingir outros patamares de excelência, em concreto dar a cor prata à certificação, passa por elaborar a cartilha sustentável do arquipélago. Trata-se de um projeto do Governo Regional, que tem como objetivo reforçar o posicionamento estratégico no domínio da sustentabilidade.

O projeto tem sido particularmente bem acolhido, registando adesão crescente de entidades empenhadas em tornar os Açores num destino turístico único pelas suas características naturais e práticas na defesa do meio ambiente.

Regista número crescente de ades, com o número de 45 entidades subscritoras registado no início (2017) a subir para mais de 141 já este ano.

Os Açores continuam no bom caminho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de