Adega de Ponte da Barca surpreende e lança vinho em lata

A procura constante de novidades e a apetência do mercado externo pelos vinhos portugueses, bem como a atração de outro tipo de consumidores, levaram a Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez a lançar vinho em lata.

A marca 80"S, que celebra uma década de marcante irreverência e diversidade em particular no domínio da música, assenta que nem uma luva ao mais novo e arrojado produto da, Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez: vinho verde em lata.

O rótulo das embalagens, bem conseguido em termos estéticos, evidencia leveza, descontração, festa, uma trilogia que apela a um público consumidor mais jovem.

A embalagem, que dispensa saca-rolhas e copos, é uma lata de alumínio, específica para vinhos, com 250 ml de capacidade, e que, segundo o produtor "dá garantias de manter toda a frescura e os aromas".

Em termos ambientais, a sustentabilidade é uma prioridade estratégica para a adega, que dá mais um passo nesse sentido, recorrendo à utilização do alumínio, o que proporciona ganhos em comparação com o vidro, ao nível da reciclagem e do transporte, dado o seu menor peso.

A adega iniciou este projeto em outubro de 2019 para entrar na corrida do vinho em lata com argumentos diferenciadores: um produto certificado com Indicação Geográfica Minho e em duas versões, branco e rosé, ambas com baixo teor alcoólico.

O branco é produzido com base nas castas brancas da Região dos Vinhos Verdes - loureiro, trajadura e arinto - e revela aromas cítricos. É muito fresco, com alguma doçura.

O rosé, elaborado a partir das castas vinhão, borraçal e espadeiro, tradicionais daquela região, apresenta cor rosada muito clara e aromas de frutos vermelhos.

Ao longo de 2020, o departamento de enologia e inovação efetuou vários ensaios de enlatamento, com provas sensoriais e análises laboratoriais, tendo como objetivo perceber o comportamento do vinho neste tipo de embalagem.

"Procurámos escolher um perfil de vinho adequado ao público alvo, jovens urbanos das gerações millennial e Z", explicou José Oliveira, diretor geral e responsável de enologia.

Para Bruno Almeida, diretor de Marketing, Inovação & ID, "o vinho em lata é hoje um dos segmentos de mercado que mais cresce na indústria do vinho e algumas estimativas apontam para 70 por cento ao ano".

Espumante de vinhão e novos brancos

A criação de produtos mais arrojados, rompendo de algum modo com o classicismo de propostas consagradas, tem sido imagem de marca da Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez.

Para além da marcante irreverência consagrada no vinho em lata, destaque para o Espumante Tinto Bruto 2020, feito com 100 por cento da casta vinhão.

É um espumante de vinho verde, exuberante, ideal para acompanhar pratos mais substanciais, como feijoadas, sardinhadas ou cabidelas,

O ciclo de novidades da adega minhota compreende ainda três novas referências, ideais para os dias mais quentes que se aproximam e que apelam a refeições leves, saladas e marisco.

Para uma harmonização perfeita, a adega lançou o Grande Escolha Branco 2020, produzido a partir de um lote especial de diferentes castas brancas da região (85 por cento de loureiro e cinco por cento de alvarinho, trajadura e arinto); Loureiro Alvarinho Premium e Branco Seco (75 por cento de loureiro, e 12,5 por cento de trajadura e de arinto).

Denominador comum a este trio: a frescura, aromas florais, mineralidade e o equilíbrio, a par de um ligeiro gás.

Exportação é chave do sucesso

O leque vasto e diversificados de novas referências, com base na inovação e modernidade, tem permitido acentuado crescimento no domínio da exportação: o mercado externo - 32 países, entre eles, Brasil, Rússia, Estados Unidos, México, Ucrânia e Cazaquistão - foi responsável por 75 por cento da faturação, o que significou um aumento da ordem dos 20 por cento em termos de vendas, no primeiro trimestre de 2021,

A trajetória de sucesso começou a desenhar-se em 2015 para atingir em 2020 um crescimento de 110 por cento em termos de volume de negócios, ou seja, um valor muito próximo dos seis milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de