Recanto popular e bairrista na Graça

A noite de St.º António é de folia lisboeta. De marchas e bailaricos e de muita sardinha assada, saboreada nos arraiais dos bairros mais populares. É a tradição de uma noite longa, que pode começar num recanto típico da Graça.

No mês do solstício de verão e dos Santos Populares, o Santo António abre o ciclo dos dias festejados de uma maneira bastante intensa e muito especial: popular e divertida, com elevada dose de brejeirice a apimentar noites rapioqueiras, ao ritmo das marchas populares, com figurantes empunhando arquinhos e balões, e nos arraiais, onde há animados bailaricos.

A capital lisboeta não foge à tradição: a noite de 12 para 13 de junho é de muita folia nos bairros típicos da cidade para festejar Santo António.

Um pouco por toda a parte, e onde a festa esteja instalada, a sardinha assada é a rainha da mesa.

De Alfama à Mouraria, da Madragoa à Graça, pelas sete colinas de Lisboa, o fumo dos grelhadores eleva-se no ar, em espirais que propagam por toda a cidade um cheiro tão caraterístico.

Dos locais mais elevados de onde se avista o Tejo e o casario debruçado sobre o rio, em particular dos miradouros da Sr.ª do Monte e da Graça, a panorâmica é fantástica.

Perto deste último ponto de êxtase contemplativo e a dois passos da Villa Bertha, com um arruamento ladeado por habitações de dois e de três pisos com balcões em ferro ornamentados com floreiras, a TASCA DO JAIME é uma boa proposta para saborear sardinhas assadas e um ambiente típico.

É um restaurante popular, onde mora o fado vadio, onde há também petiscos bem portugueses e vinho a copo. O espaço é acanhado, o ambiente castiço e a decoração rústica. Nas paredes em azulejo, há fotos de fadistas, violas e guitarradas penduradas.

Um pequeno corredor com balcão à direita conduz a uma sala onde as mesas estão postas com toalhas aos quadradinhos cobertas por folhas de papel.

Para entreter, nada melhor que os pastéis de bacalhau ou um pratinho com presunto. Introito saboroso para a fase seguinte, que pode ter bacalhau ou sardinhas assadas como opção. Pimentos, batata cozida e salada são acompanhamento indispensável para saborear, na plenitude, uma noite de Santo António que se deseja prazenteira.

Sobremesas habituais. Garrafeira suficiente e serviço simpático neste restaurante popular, despretensioso, simples e de ambiente bairrista. TASCA DO JAIME, na Graça, em Lisboa.

Localização: Lisboa

Telef.: 21 888 1560

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de