Os espumantes minhotos da Adega de Ponte da Barca

A Adega de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez lançou dois espumantes algo exclusivos, que fogem aos padrões mais tradicionais: um da casta loureiro, raro no mundo; outro, mais bizarro, 100 por cento vinhão.

A coleção Naperão, identificada pelo rótulo, que se tornou indissociável da imagem da Adega de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, foi reforçada com um trio de referências, particularmente indicadas para o verão.

Com um crescimento de 110 por cento nos últimos cinco anos, a adega minhota exporta 73 por cento da produção anual - 5,5 milhões de garrafas -- para 37 países e pretende continuar essa marcha ascensional.

Na linha estratégica de reposicionamento dos produtos da Adega, insere-se o lançamento do espumante Naperão Loureiro, obtido pelo método Charmat, para preservar os aromas cítricos e florais da uva daquela casta.

É um espumante produzido com 100 por cento da casta Loureiro, o que é raro no mundo. Bolha fina e persistente e uma acidez bem presente caracterizam este espumante do qual foram produzidas 30 mil garrafas.

Outro espumante bizarro, "fora da caixa", para usar uma expressão muito na moda, é o Naperão Vinhão, um dos raros produzido com esta casta. Cheio de força e muito gastronómico, tem sido um sucesso na restauração mais tradicional.

Apresenta cor vermelha granada; bolha fina; espuma rosada e persistente e aromas complexos de frutos vermelhos.

Para completar o trio de novidades, o campeão de vendas Naperão Reserva, um "blend´ de castas tradicionais da Região dos Vinhos Verdes: loureiro, arinto e trajadura.

Com ligeira incorporação de gás, é um vinho versátil, descomprometido, evidenciando as notas florais da casta Loureiro e as cítricas da Trajadura e do Arinto.

O trio Cervejola

No vasto portefólio da Adega de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, empenhada em encontrar novos produtos que cativem outros públicos, eventualmente mais jovens, para o mundo do vinho, incluem-se as Cervejola, cervejas artesanais que resultam de uma parceria com a Letra.

As referências são três e produzidas com incorporação de uvas das castas mais tradicionais da Região dos Vinhos Verdes.

A mais encorpada Vinhão Wine Grape resultou da fermentação de 20 por cento de uvas da casta vinhão com uma solução de maltes de cevada claros em conjunto com trigo espelta e centeio.

Mais aromática, a White Grape contou com a incorporação de uvas das castas Alvarinho, Arinto, Trajadura e Loureiro.

Com aromas adocicados e notas de caramelo, a Old Brandy apresenta aromas intensos de malte.

Um trio que expressa as diferentes castas utilizadas no fabrico destas cervejas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de