Um Fedelho minhoto rei de gala vínica
TSF Lifestyle

Um Fedelho minhoto rei de gala vínica

Um Fedelho atrevido e cheio de vitalidade foi o rei da primeira gala promovida pela Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez que assinalou, em Braga, o lançamento do mais novo vinho da colheita de 2021: o tradicional Vinhão.

Jovem, cheio de vitalidade e determinado em impor-se entre forte concorrência, o Fedelho, assim apodado pela equipa de marketing da Adega por invocar a irreverência da casta Vinhão e a celeridade com que o vinho chega para o S. Martinho, foi o primeiro vinho da colheita deste ano a chegar ao mercado.

Produzido a 100 por cento com uvas tintas da casta Vinhão, de vinhas que forram a verde e ouro as parcelas de um rincão minhoto onde o saber das gentes casa na perfeição com ancestrais tradições.

O Vinhão é, por natureza e historial, um ex-libris da Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez; logo, razão mais do que suficiente para figurar na coleção Naperão, um segmento superior reservado a cinco vinhos premium.

Este ano, a tradição voltou a ser cumprida: a Adega foi a primeira empresa da Região dos Vinhos Verdes a engarrafar o Vinhão, para ser colocado de imediato no mercado. Uma operação que se revestiu de acrescida importância, uma vez que a colheita de 2020 está esgotada desde agosto.

Para José Oliveira, responsável de enologia, «é um desafio lançar este vinho no mercado tão cedo, ou seja, menos de dois meses após a colheita da uva. Apesar de tudo, é um privilégio trabalhar as uvas de alta qualidade que a natureza nos oferece».

Frutado, muito equilibrado e persistente na boca, com aromas de frutos vermelhos, o Vinhão ora lançado revela a notável evolução qualitativa que os vinhos da Região conheceram nos últimos anos.

A apresentação da coleção Reserva de Sócios, incluindo o Vinhão 2020, comprovou na perfeição o nível alcançado pelos vinhos verdes da Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, complexos e requintados, com envelhecimento em barrica.

A coleção Naperão esteve igualmente em foco com o Loureiro e o Loureiro-Alvarinho, e ainda com o Espumante Vinhão 2020 e o Vinhão Reserva 2020.

A 1.ª Gala do Fedelho, primeiro passo para um evento enoturístico anual, que se pretende de referência em Portugal, mostrou o melhor de dois mundos: a perfeita harmonia dos vinhos verdes produzidos pela Adega com um menu marcado pela contemporaneidade dos pratos, com assinatura do chefe executivo Tiago Lamego, do Hotel Vila Galé Collection Braga, e a essência minhota, vibrante e popular, festiva e empolgante, espelhada nas típicas malgas, no som das concertinas e nas cantigas ao desafio.

Presença em 32 países

No decorrer da gala, o presidente do conselho de administração da Adega Cooperativa de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez, Rui Folha Gomes, enalteceu o trabalho e fidelidade dos cerca de mil viticultores que procedem à entrega das uvas e revelou que «os nossos vinhos já se encontram em 32 países, representando a exportação entre 75 a 80 por cento de um volume anual de negócios que este ano deverá atingir os sete milhões de euros».

Com sucessivos lançamentos de produtos inovadores, que têm captado apreciável número de novos consumidores, graças a ações de promoção bem conseguidas, a Adega dá passos consistentes rumo ao futuro:

«Temos um projeto arrojadíssimo, que é a construção de uma nova estrutura», revelou aquele responsável.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de