Câmara de Sobral de Monte Agraço encerra 2018 com 292 mil euros negativos

Sobral de Monte Agraço, Lisboa, 23 abr 2019 (Lusa)- A Câmara de Sobral de Monte Agraço, no distrito de Lisboa, fechou o ano de 2018 com um resultado líquido negativo de 292 mil euros, pior que o de 2017, segundo o Relatório de Contas aprovado hoje.

O Relatório de Contas de 2018 foi aprovado pela maioria comunista, com PSD a votar contra e PS a abster-se.

Este município encerrou o ano de 2018 com um resultado líquido negativo de 292 mil euros, quando no ano anterior o resultado tinha sido de 198 mil euros negativos, de acordo com documento a que a agência Lusa teve acesso.

A execução orçamental da receita foi de 81,3%, já que, dos 10,8 milhões de euros (ME) previstos, após alterações orçamentais efetuadas ao longo do ano, foram arrecadados 8,8 ME.

A receita total foi inferior à de 2017, que foi de 9,2 ME.

Em 2018, as receitas correntes situaram-se nos 7,9 ME e aumentaram 340 mil euros face a 2017 por via, sobretudo, dos impostos diretos.

Entre 2017 e 2018, as receitas do Imposto Municipal sobre Imóveis registaram um ligeiro aumento de 60 mil euros, situando-se em um milhão de euros, assim como as do Imposto Municipal sobre Transações Onerosas de Imóveis (de 289 mil euros para 478 mil euros) e do Imposto Único de Circulação (314 mil para 363 mil euros).

Já as receitas de capital foram de 273 mil euros e tiveram um decréscimo de 848 mil euros face ao ano transato, por o município ter recebido menos fundos comunitários e não ter contraído empréstimos no valor de 500 mil euros como aconteceu em 2017.

A execução orçamental da despesa foi de 77,8%, uma vez que, dos 10,8 ME previstos, foram pagos 8,4 ME, abaixo de 2017, ano em que a despesa paga foi de 8,7 ME.

Por comparação a 2017, as despesas correntes, que representaram 7,5 ME, baixaram 5,3%, de 7,5 para 7,1 ME.

Para tal, contribuiu a redução dos gastos na aquisição de bens e serviços (de 3,7 ME para 3,5 ME). Contudo, as despesas com pessoal aumentaram cerca de 100 mil euros, situando-se o ano passado nos 3 ME.

As despesas de capital decresceram de 1,5 ME para 920 mil euros, devido sobretudo a investimentos não concretizados, cuja despesa baixou de 751 mil para 381 mil euros.

O município encerrou 2018 com uma dívida total de 4,2 ME, inferior aos 4,8 ME que tinha em 2017. Essa redução foi alcançada com a diminuição da dívida de médio e longo prazos (de 3,2 para 2,2 ME), embora a de curto prazo tenha tido um aumento (de 1,6 ME para 2 ME).

A autarquia terminou o ano anterior a pagar a 83 dias, quando em 2017 o prazo médio de pagamentos era de 74 dias.

O Relatório de Contas vai ser submetido no dia 30 à assembleia municipal, em que a CDU tem maioria tal como na câmara municipal.

Sobral de Monte Agraço tem uma população de cerca de 10 mil habitantes.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de