Centro tecnológico do Porto cria espaço para partilha entre empresas do norte do país

O Centro de Excelência para a Inovação da Indústria Automóvel (CEiiA), em Matosinhos, disponibiliza, a partir de hoje, um espaço para que empresas e organizações do norte do país possam interagir entre si e partilhar boas práticas.

"Vai haver no CEiiA um espaço para que as diferentes entidades que pertencem à rede portuguesa da United Nations Global Compact [sediada em Lisboa] e que sejam da zona norte do país, possam ter um local para interagir, um espaço que sintam como seu e onde possam partilhar", disse à Lusa o diretor de Sustentabilidade Organizacional do centro tecnológico, Gualter Crisóstomo.

A United Nations Global Compact (UNGC) é uma iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) na área da cidadania empresarial, que assenta em dez princípios fundamentais nas áreas dos direitos humanos, práticas laborais, proteção ambiental e anticorrupção.

Engloba cerca de 10 mil empresas de todo o mundo, organizadas em redes locais ou regionais, de acordo com o contexto geográfico, social ou económico dos países constituintes.

Através desta "delegação" da rede portuguesa da Global Compact no norte do país, o CEiiA pretende promover encontros, 'workshops' e parcerias entre as empresas nacionais e as internacionais, facilitando assim o contacto e o acesso.

Além da rede portuguesa do Global Compact, o CEiiA integra, há cerca de um ano, o Conselho Consultivo Estratégico da Breakthrough Innovation Platform, uma plataforma orientada para novos modelos de negócio associados à inovação colaborativa, que tem por base a sustentabilidade ambiental, económica e social.

Segundo o diretor, a escolha do CEiiA para integrar o conselho consultivo deveu-se ao método de trabalho do centro ao nível da produção e do desenvolvimento de produto, "muito associado a uma dinâmica de cocriação" entre o poder local e central, as universidades, as empresas, os centros tecnológicos e os cidadãos.

"Se desenvolvemos um novo modelo de negócio, esse tem que ser inclusivo e democrático. Não pode ser algo que crie ainda mais desigualdades na sociedade, mas sim que ajude a colmatar essas desigualdades", referiu.

Através dessa plataforma, os dez membros constituintes pretendem "ser um farol para que outras entidades a nível mundial possam seguir as nossas metodologias e as nossas boas práticas", indicou o diretor.

Para escolha do CEiiA como membro do conselho consultivo, continuou, contribuíram os projetos desenvolvidos no centro, como o mobi.me - sistema que quantifica, em tempo real, a pegada ecológica na mobilidade - e o AYR Credit - aplicação para ?smartphones' que armazena créditos de dióxido de carbono acumulados por cada utilizador.

Aproveitando a visita a Portugal das outras nove empresas que fazem parte do Conselho Consultivo Estratégico da Breakthrough Innovation Platform, o CEiiA promove, entre hoje e quarta-feira, diferentes sessões de apresentação de projetos e discussão, iniciativa associada à semana da Responsabilidade Social, criada pela rede portuguesa do UNGC.

Numa das sessões serão apresentados projetos desenvolvidos pelas empresas, autarquias, poder local e central, associados à sustentabilidade, bem como "uma visão mais global da importância da inovação para implementação dos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU", relatou Gualter Crisóstomo.

Outro dos momentos está reservado para 'startups' (empresas de base tecnológica em fase de desenvolvimento), onde as temáticas continuarão a ser a sustentabilidade, a inovação e a implementação dos objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de