Estudantes do Porto exigem "rápida intervenção" para travar violência

A Associação de Estudantes do Instituto Superior de Engenharia do Porto (AEISEP) exigiu hoje uma "rápida intervenção" das entidades competentes para travar as "recorrentes" situações de violência de que têm sido vítimas os alunos da cidade.

"O Ministério da Administração Interna, a Câmara Municipal do Porto, as instituições de ensino superior, as associações de estudantes e a PSP devem unir esforços para travar este flagelo que assola os estudantes e a academia. Exige-se uma rápida intervenção para que este flagelo tenha fim à vista", refere um comunicado da AEISEP.

Um estudante daquele instituto e um amigo foram assaltados na madrugada de quinta-feira, tendo o primeiro sido esfaqueado durante o ataque.

No comunicado, a AEISEP diz que devem ser criadas as condições de segurança e bem-estar para que os estudantes "em momento algum possam ser afetados por este tipo de situações de crime com recurso à violência, que têm sido recorrentes nos últimos anos, sem que haja uma resposta pragmática e eficaz".

A AEISEP já contactou o coordenador de patrulhamento do polo universitário da Asprela, no sentido de promover mais reforço e segurança no local.

No comunicado, a AEISEP manifestou "consternação e pesar" pelo episódio de quinta-feira e disponibilidade para apoiar o estudante agredido e aos familiares.

Segundo a PSP, o assalto registou-se cerca das 06:30 e foi consumado por dois indivíduos, que agrediram "com uma cabeçada" uma das vítimas e a outra "com uma faca no peito e no braço".

O jovem esfaqueado, a quem foi também roubado um fio de ouro e um telemóvel, foi encaminhado para o Hospital São João, no Porto

Os dois assaltantes fugiram depois do ataque.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de