Internacional

Parlamento unânime no pesar pela morte de militante da oposição na Guiné Equatorial

O parlamento português aprovou hoje um voto de pesar pela morte do militante da oposição ao regime da Guiné Equatorial Santiago Ebbe Ela, "torturado e assassinado pelo regime de Teodoro Obiang".

No voto, aprovado por unanimidade a Assembleia da República condena igualmente "os atropelos de direitos humanos e as prisões arbitrárias levadas a cabo pelo Governo da Guiné Equatorial".

O texto do voto refere que "o crescendo de violência" na Guiné Equatorial teve "o ponto mais brutal na morte de Santiago Ebbe Ela, militante do partido da oposição Cidadãos para a Inovação, numa esquadra de Malabo, capital da Guiné Equatorial".

"Refere Andres Esono Ondo, secretário-geral do também partido de oposição Convergência para a Democracia Social na Guiné Equatorial, que Ebbe Ela morreu devido a atos de tortura, e que há fotografias que o comprovam", relata-se no texto do voto.

De acordo com o voto aprovado, "no âmbito da sua presença na comunidade lusófona, e naquilo que se pretende dos membros da CPLP, não pode a Guiné Equatorial descomprometer-se com o Estado de Direito e o primado da lei, nem desconsiderar preceitos básicos de liberdade e proteção de direitos humanos".

A Assembleia da República aprovou hoje ainda um voto de pesar e solidariedade pelo terramoto ocorrido em Taiwan e um voto de saudação pelo dia da Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina.

Os deputados foram igualmente unânimes no pesar pelo falecimento de Esmond Bradley-Martin, "uma referência na proteção da vida selvagem e na luta contra o tráfico de marfim".

  COMENTÁRIOS