Desporto

Universitários podem ganhar prémio com projeto de promoção da atividade física

Os alunos e professores do ensino superior em Portugal vão poder candidatar-se a um prémio nacional com trabalhos que promovam a atividade física e o desporto.

"Cerca de 74% dos cidadãos em Portugal nunca praticam exercício físico ou desporto", sublinha um dos responsáveis pela criação deste prémio, uma ideia que partiu do Observatório das Doenças Civilizacionais.

PUB

Segundo Telmo Vieira, o prémio nacional terá o valor de 5.000 euros para o melhor trabalho apresentado pelos alunos e de 2.500 euros para o docente que tenha acompanhado o projeto.

Todas as faculdades podem candidatar-se, independentemente da área de estudos, sendo um projeto que vai vigorar já este ano letivo.

"Pretende-se ter um projeto de âmbito alargado que atue na prevenção dos problemas de saúde. O nosso país investe muito dinheiro nas consequências, mas investe pouco na prevenção. É preciso criar projetos concretos com efetivos resultados para intervir na prevenção", afirmou à agência Lusa Telmo Vieira, responsável da empresa que promove este prémio e que criou o Observatório das Doenças Civilizacionais.

Telmo Vieira lembra que o alvo potencial desta iniciativa são os 360 mil alunos do ensino superior em Portugal e os mais de 30 mil docentes.

Esta é uma das ideias que vai ser apresentada no I Fórum das Doenças Civilizacionais, que decorre dia 18 de novembro, em Lisboa, uma conferência aberta ao público em geral e a profissionais de saúde, onde serão debatidas doenças como a hipertensão, a diabetes, a obesidade ou o colesterol.

Neste Fórum vai debater-se "do que se adoece e morre em Portugal", com intervenções de especialistas, nomeadamente da Direção-geral da Saúde.

O Observatório das Doenças Civilizacionais realizou um primeiro estudo em 2009 sobre as principais causas de doença e morte em Portugal e pretende voltar a estudar o assunto, incidindo novamente em temas como a obesidade e a hipertensão, mas incluindo uma nova área dentro da saúde mental, a depressão.