Submarino desaparecido. "A cada minuto que passa aumentam as probabilidades de insucesso"

Marinha da Indonésia pediu ajuda ao Japão e à Austrália para localizar o submarino que desapareceu ao largo da ilha de Bali com 53 tripulantes a bordo.

A Marinha da Indonésia está numa luta contra o tempo para encontrar o submarino que desapareceu na quarta-feira ao largo da ilha de Bali. A bordo do navio estão 53 tripulantes e, de acordo com as autoridades indonésias, têm oxigénio suficiente para 72 horas.

À TSF, o comandante do submarino português "Arpão" explica que a operação de busca e salvamento tem três fases: busca e localização, verificação do estado do submarino e fase de retirada da tripulação.

Para o comandante Taveira Pinto, este é um processo longo. "Ainda só estão na fase de busca. Temos outro problema grande que é a zona onde o submarino estava em exercícios. É uma zona de profundidades elevadas, o que aumenta a dificuldade de buscas e probabilidade de sobrevivência, mas todo este processo é feito passo a passo."

O oficial da Marinha Portuguesa admite que a mancha de óleo detetada nas últimas horas por um helicóptero durante as buscas pode ter sido lançada de propósito. "Pode ter havido algum estrago no casco resistente com a pressão e tenha soltado combustível ou pode ter sido mesmo os tripulantes que, ao não terem outro tipo de comunicação, terem mandado óleo para cima porque sabem que há navios amigos à superfície e que vão ver aquilo", explica o comandante Taveira Pinto.

Ainda é prematura avançar com as causas possíveis deste acidente, estando as autoridades locais a trabalhar contra o relógio para salvar as vidas que estão a bordo do submarino. O comandante Taveira Pinto adianta ainda que a embarcação da Marinha da Indonésia é idêntica aos submarinos portugueses.

"É um submarino do final dos anos 1970 e início dos anos 1980, mas em termos de plataforma, também já foi modernizado pela Marinha da Indonésia. É um submarino convencional, por isso, do tipo com geradores a diesel para fazer a carga da bateria", disse.

O comandante das Forças Armadas da Indonésia, Hadi Tjahjanto, disse à France Presse que Jacarta pediu ajuda a Singapura e à Austrália.

A tripulação do submarino, de construção alemã, é composta por 53 elementos e pode encontrar-se a cerca de 700 metros de profundidade a norte de Bali, disse Hadi Tjahjanto.

*Com Lusa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de