"A causa raiz da crise ucraniana." Coreia do Norte culpa EUA pela invasão russa

Esta é a primeira reação oficial do país asiático ao conflito na Ucrânia.

A Coreia do Norte acusou os Estados Unidos de serem "a causa raiz da crise ucraniana", numa primeira reação oficial à invasão russa da Ucrânia.

Washington prosseguiu uma política de "supremacia militar, desafiando a legítima exigência da Rússia pela sua segurança", pode ler-se numa mensagem publicada sábado no 'site' do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte, assinada por um investigador da Sociedade para o Estudo da Política Internacional.

"A causa raiz da crise ucraniana reside também no autoritarismo e arbitrariedade dos Estados Unidos", acrescentou.

Na mesma nota critica-se os EUA por terem "dois pesos e duas medidas" em relação ao resto do mundo. Acusou os EUA de interferir nos assuntos internos de outros países em nome da "paz e estabilidade", enquanto "denunciava injustificadamente as medidas de autodefesa tomadas por [esses] países para garantir a sua própria segurança nacional".

"Os dias em que os Estados Unidos reinavam terminaram", concluiu.

Ainda assim, a mensagem publicada no 'site' do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte é entendida como uma resposta oficial "discreta" de Pyongyang porque foi publicada em nome individual, disse Park Won-gon, professor de estudos norte-coreanos na Universidade Ewha em Seul, na Coreia do Sul.

A Rússia lançou na quinta-feira de madrugada uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que já provocaram pelo menos 198 mortos, incluindo civis, e mais de 1.100 feridos, em território ucraniano, segundo Kiev. A ONU deu conta de 150.000 deslocados para a Polónia, Hungria, Moldávia e Roménia.

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse que a "operação militar especial" na Ucrânia visa desmilitarizar o país vizinho e que era a única maneira de a Rússia se defender, precisando o Kremlin que a ofensiva durará o tempo necessário.

O ataque foi condenado pela generalidade da comunidade internacional e motivou reuniões de emergência de vários governos, incluindo o português, e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), UE e Conselho de Segurança da ONU, tendo sido aprovadas sanções em massa contra a Rússia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de