A décima pessoa a chegar aos cem anos. Cidade remota na Sardenha atinge recorde

Numa população de 1765 pessoas, dez chegaram ao centenário. As explicações são várias, mas o sentido de comunidade é o fator que se destaca. Do fascismo à democracia, do papa Pio X ao papa Francisco, e passando pelos primeiros anos de direito ao voto para a mulher, os idosos contam o mundo que já lhes passou pelos olhos.

Em Perdasdefogu, uma remota localidade montanhosa na ilha da Sardenha, Vittorio Lai é a última pessoa a alcançar a meta do centenário. Pistol - como é apelidado em Perdasdefogu -, que ainda conduz e caça javalis, é o nono a atingir tamanha longevidade na localidade, e, esta semana, haverá uma décima pessoa a chegar aos cem anos.

O facto torna-se curioso por tratar-se de uma população de apenas 1765 pessoas, assinala o jornal The Guardian. Sardenha, acrescenta a publicação, foi identificada como uma das cinco regiões do mundo com maior concentração de pessoas a viverem o seu centenário (534 pessoas ou 33,6 por cada cem mil habitantes). No caso de Perdasdefogu, uma cidade situada no topo das montanhas escarpadas do Sudeste da ilha, acessível apenas através de uma estrada estreita e sinuosa, o rácio é chega a 16 vezes a média nacional. "A presença de dez centenários confirma a longevidade excecional dos habitantes de Perdasdefogu e eleva ainda mais a fasquia", declarou Luisa Salaris, professora de Demografia da Universidade de Cagliari.

Em 2012, a localidade ficou debaixo dos holofotes, quando a família Melis, com nove irmãos e irmãos, entrou no Guiness World Records por ter os irmãos vivos mais velhos do planeta. A idade combinada dos anciãos perfazia 818 anos. O cidadão mais antigo da cidade até hoje é Consolata Melis, a mais velha dos irmãos. Morreu em 2015, aos 108 anos. Antonio Brundu, que completa 104 anos em março, é o morador mais velho na atualidade.

Vittorio Lai, que aos 13 anos foi apelidado de Pistol, conta que, há décadas, era a caça que acabava com a fome na ilha. Foi operário, pastor, empregado de armazém e cozinheiro, entre as "centenas" de empregos que disse já ter tido. Maria, a sua mulher, tem 97 anos.

Toda a população reúne-se, habitualmente, para comemorar os centenários. Por causa da pandemia, Lai apenas pôde contar com a presença da família e de alguns amigos para almoçar.

Piuccia Lai, que chegará aos cem anos nos próximos dias, narrou já ter passado pela "fome, pela guerra, durante o fascismo e a democracia", tendo votado pela primeira vez a 2 de janeiro de 1946. "Vi passarem pela igreja dez papas, de Pio X a Bergoglio.

Vários cientistas já estudaram Perdasdefogu, e avançaram com explicações como o ar limpo, o estilo de vida ativo e a dieta rica em legumes frescos. Muitos, porém, acreditam que a longevidade tem no sentido de comunidade o único segredo, com todos a olharem uns pelos outros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de