Costa sugere critérios de vacinação comuns na UE. O contrário "mina a confiança dos cidadãos"

António Costa entende que regras "não podem conhecer fronteiras, tal como a covid também não as conhece".

O primeiro-ministro criticou esta sexta-feira a ausência de uma política de vacinação comum em toda a União Europeia, considerando que a a diversidade de opiniões das autoridades de cada Estado, sobre os critérios para a imunização, "mina a credibilidade dos cidadãos".

"A União agiu bem com a compra comum de vacinas. Mas, qual é a razão de ter deixado, a cada Estado, a competência de definir as contraindicações das vacinas aprovadas pela agência europeia do medicamento, em vez de confiar à EMA a definição dessas regras para toda a União", questionou.

O primeiro-ministro falava no discurso de encerramento do ano académico do colégio da Europa de Bruges, que este ano tem Mário Soares como patrono.

Na cerimónia, António costa procurou transmitir a ideia de que a Europa está incompleta, aproveitando para citar Mário Soares e lembrar a célebre frase de que "a construção europeia não é tarefa fácil". E, no caso concreto da atual política de vacinas na União Europeia, considera que é tudo menos coerente.

"De acordo com os estados-membros, a mesma vacina pode ser administrada de forma universal, ou de forma independente do género - ou em função do género -, em função da idade, que pode variar entre os maiores de 55, de maiores de 56, maiores de 60, e mesmo maiores de 65 anos", exemplificou.

Para António Costa é uma questão de credibilidade, com consequências diretas no combate à pandemia que está em causa. Mas também um novo problema para o mercado interno.

"Estas regras não podem conhecer fronteiras, tal como a covid também não as conhece. Por que isto mina a confiança dos cidadãos, fragmenta o mercado único, e condiciona a livre circulação", defendeu no discurso de encerramento do ano académico no colégio da Europa, em Bruges, na Bélgica, a dizer que a União Europeia está por construir, dando o exemplo das competências limitadas em matéria de saúde.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de