A luta dos três milhões que vivem na incerteza do Brexit

Um compositor italiano, residente em Londres há 15 anos, lidera um movimento que dá voz aos receio dos europeus que temem o futuro no Reino Unido.

Chama-se the3million (três milhões) mas estima-se que cheguem a quatro milhões e meio, os europeus no Reino Unido, que vivem na incerteza do Brexit. ​O movimento formou-se depois do referendo e até já perdeu uma das dirigentes que abandonou o país.

Os que ficam não baixam os braços. É o caso do italiano Dimitri Scarlato, que continua a dar a voz e a cara pelos europeus, aqueles que não votam, mas para quem a vida já mudou.

"Londres é uma bolha, mas mesmo aqui, alguma coisa mudou. Há mais raiva e uma divisão maior no país, porque os britânicos não lidaram bem com isto. Estamos à beira do populismo em todo o mundo e acho que estas eleições são o exemplo de como às vezes, os políticos querem apelar mais ao lado emocional, em vez de mostrar provas e factos. Uma questão como o Brexit vai mudar a vida a muita gente e os britânicos deviam ter dado outro exemplo", disse à TSF Dimitri Scarlato.

Residente em Londres há 15 anos, Dimitri lembra que depois do Brexit sentiu-se desconfortável. "Não me sinto racialmente ameaçado pelo Brexit, mas pela primeira vez, em algumas ocasiões, não me sentia à vontade a falar italiano em transportes públicos. Nunca me tinha acontecido antes", frisa o compositor italiano.

Os três milhões não apoiam qualquer partido. Fazem questão de manter a neutralidade, para poderem continuar as reivindicações seja quem for o vencedor. Dimitri Scarlato não comenta por isso, as propostas para os imigrantes, mas como músico, até compôs a peça Limbo, para mostrar como se sentem os europeus no Reino Unido. ​

"Tentei incorporar todas as ansiedades e preocupações das pessoas nesta peça musical. Alguns sentem-se mesmo no limbo, porque até este prolongamento, viviam à beira do precipício de um não acordo."​

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de