Trump: "Soleimani devia ter sido morto há vários anos"

Ao contrário do que é habitual, Donald Trump foi parco em palavras no Twitter. Mais tarde, defendeu que o general iraniano "deveria ter sido morto há vários anos".

Trump comenta o ataque aéreo que matou o do general iraniano Qassem Soleimani, em Bagdad, Iraque, com apenas uma frase: "O Irão nunca ganhou uma guerra, mas nunca perdeu uma negociação."

O presidente dos Estados Unidos recorreu ao Twitter para reagir pela primeira vez à escalada de tensão entre o Irão e o seu país, depois de vários países já o terem feito.

Mais tarde, meia hora depois, Donald Trump regressou ao Twitter, referindo que o general iraniano, que coordenava a força Al-Quds, foi responsável pela morte "de milhares de norte-americanos e planeava matar muitos mais".

"Foi, direta e indiretamente, responsável pela morte de milhões de pessoas, incluindo o recente grande número de manifestantes mortos no Irão", escreve o Presidente norte-americano, que acrescenta que o próprio Irão "não foi capaz de admitir que Soleimani era odiado e temido no país", concluindo que o general deveria ter sido morto "há mais tempo".

Apesar de o Departamento de Defesa norte-americano ter confirmado que a ordem partiu do presidente norte-americano, Donald Trump tardou em comentar o ataque aéreo. Inicialmente, optou apenas por reagir com uma fotografia da bandeira dos Estados Unidos no Twitter, sem qualquer comentário.

Esta sexta-feira, o antigo vice-presidente de Barack Obama Joe Biden, disse que o presidente dos Estados Unidos deve ao povo norte-americano uma explicação sobre a estratégia que pretende adotar e tem dizer como pretende manter a segurança os militares deslocados.

Em declarações à TSF, general Garcia Leandro, antigo diretor do instituto de Defesa Nacional e analista em questões de estratégia, afirma que neste momento Donald Trump é a maior ameaça à paz mundial.

Notícia atualizada às 14h20

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de