Acordo pós-Brexit: "No que lá está, está tudo bem. No que lá não está precisamos de trabalhar"

O ministro dos Negócios Estrangeiros saúda o entendimento entre a UE e o Reino Unido, mas explica que ainda há passos que podem ser dados. Augusto Santos Silva alerta ainda os portugueses residentes em solo britânico para que se candidatem ao estatuto até 30 de junho.

O ministro dos Negócios Estrangeiros considera fundamental acompanhar a aplicação do acordo de comércio e cooperação, celebrado entre a União europeia e o Reino Unido, que vai regular as relações entre Bruxelas e Londres no pós-Brexit. Augusto Santos Silva encara este acordo com expectativa e esperança de que permita estabelecer uma boa relação futura.

"Olho com muita expectativa e esperança porque nós tratamos do divórcio, conseguindo um acordo de saída, e, portanto, um divórcio ordenado e bem regulado", comenta o ministro, em declarações à TSF. "Hoje estamos a tratar da relação futura. É esse o significado da votação de ontem à noite no Parlamento Europeu. O Parlamento Europeu deu o seu consentimento e a presidência portuguesa do Conselho já disse que irá aprovar o acordo de comércio e cooperação com o Reino Unido."

A principal preocupação agora "está na execução" deste segundo acordo, reconhece Augusto Santos Silva, que explica também que há duas espécies de contratos. "Há dois acordos: o acordo que foi celebrado no fim do ano passado e que regula o processo de saída do reino Unido da União Europeia e o acordo de comércio e cooperação. No que lá está, está tudo bem. No que lá não está é que precisamos de continuar a trabalhar."

O governante manifesta ainda que é um compromisso da UE "agora acrescentar um entendimento na área dos serviços, por um lado", e também ao nível da defesa. "No âmbito da NATO, temos de garantir que a relação muito próxima entre o Reino Unido e a União Europeia, em matéria de política externa e de defesa, não só se mantém como se aprofunda", esclarece Augusto Santos Silva.

Depois do aviso da cônsul geral de Portugal em Londres, o ministro dos Negócios Estrangeiros alerta os portugueses que vivem no Reino Unido: "Nenhum português residente no Reino Unido se esqueça de, até ao próximo dia 30 de junho, apresentar a sua candidatura ao estatuto de residente no Reino Unido."

Até ao momento, 375 mil pessoas portuguesas residentes no Reino Unido já apresentaram a sua inscrição, e a esmagadora maioria apresentou "bem" esse estatuto. Trata-se de um passo muito importante, de acordo com o ministro, para assegurar que não ficam a descoberto dessa garantia e proteção.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de