Advogado de defesa pega na viola para defender cliente

Rodrigo Silva canta música de banda carioca para amenizar o coração dos jurados mas não é bem sucedido. O seu cliente foi condenado a 13 anos por assassinato.

Vestido com fato, gravata e toga, diante do juiz, dos oficiais de justiça, do promotor público e do seu cliente, o advogado Rodrigo Silva virou-se para os jurados, pegou numa viola e começou a dedilhar enquanto anunciava que iria cantar uma música que se adequava ao caso.

Os jurados ouviram, com atenção, "Hey Joe", versão da banda brasileira Rappa da composição de Billy Roberts celebrizada por outro guitarrista famoso, Jimmi Hendrix. Mas não se comoveram: condenaram o réu a 13 anos de prisão por homicídio.

Luan Valadares, 27 anos, era acusado de ter assassinado Nuno Toledo, anos antes, em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. Os dois pertenciam a famílias rivais e Nuno, alega a defesa, já tentara matar Luan. No entanto, errara o alvo e acabara por abater o irmão do réu.

Para se vingar, Luan ficou à espera da passagem de Nuno numa paragem de autocarro. Quando este chegou atingiu-o com disparos de arma de fogo, causando-lhe a morte.

Vai para a prisão apesar de "Hey Joe", a música de Jimmi Hendrix, dos Rappa e do advogado Rodrigo, que conta a história de um homem em fuga depois de ter morto a mulher infiel.

O advogado cantor, entretanto, apesar da derrota, não perdeu o hábito de recorrer a defesas bizarras. Noutro caso, qual advogado ator, chegou a chorar na frente dos jurados, mais uma vez sem sucesso.

O correspondente da TSF no Brasil, João Almeida Moreira, assina todas as quintas-feiras a crónica Acontece no Brasil

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de