Advogado de Trump suspenso por mentir sobre fraude eleitoral

Tribunal de Nova Iorque considera que conduta de Rudy Giuliani "ameaça o interesse público".

O advogado de Donald Trump ficou sem a licença de advocacia. Um tribunal de Nova Iorque suspendeu a autorização para Rudy Giuliani exercer a profissão, considerando que fez declarações manifestamente falsas sobre o resultado das presidenciais que Trump perdeu.

Giuliani ajudou a campanha do antigo presidente a apresentar dezenas de processos em tribunal alegando que o partido democrata falsificou os resultados, mas não apresentou qualquer prova.

"Existem provas incontestáveis de que o réu fez declarações falsas e enganosas aos tribunais, legisladores e ao público em geral na qualidade de advogado do ex-presidente Donald Trump e da campanha de Trump", decidiu o tribunal. As declarações falsas procuraram "fortalecer de maneira imprópria a narrativa do réu de que a ampla fraude eleitoral roubou a vitória do seu cliente nas eleições presidenciais".

A conduta de Giuliani "ameaça o interesse público e justifica uma suspensão provisória da prática da lei", acrescentou o tribunal.

"Vocês acreditam que Nova Iorque quer tirar Rudy Giuliani, um grande patriota americano, da sua permissão para exercer advocacia porque tem lutado contra o que se provou ser uma eleição fraudulenta?", questionou Donald Trump, em comunicado. "Nova Iorque está fora de controlo, o crime está em alta, isso nada mais é do que uma caça às bruxas, e eles deveriam ter vergonha de si mesmos. Iremos recuperar os Estados Unidos", acrescentou.

O antigo presidente da câmara de Nova Iorque e advogado de Donald Trump pode recorrer, mas o tribunal já alertou que no final do processo, provavelmente, vai enfrentar sanções permanentes e substanciais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de