Agência de Medicamentos da UE inicia revisão contínua de medicamento contra a Covid-19

Estudos laboratoriais e clínicos sugerem que o medicamento pode reduzir a capacidade do vírus se multiplicar no corpo, impedindo assim a hospitalização ou morte em doentes com a doença.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) anunciou esta segunda-feira uma revisão contínua de um medicamento oral do laboratório americano Merck para tratar a Covid-19 em adultos.

"O comité de medicamentos para uso humano iniciou uma revisão contínua do molnupiravir, medicamento antiviral oral (também conhecido como MK 4482 ou Lagevrio), desenvolvido pela Merck Sharp & Dohme em colaboração com a Ridgeback Biotherapeutics para o tratamento da covid-19 em adultos", segundo um comunicado da EMA.

A decisão do comité de iniciar a revisão contínua baseia-se em resultados preliminares de estudos laboratoriais e clínicos sugerindo que o medicamento pode reduzir a capacidade de o SARS-CoV-2 (o vírus que causa a Covid-19) se multiplicar no corpo, impedindo assim a hospitalização ou morte em doentes com a doença.

A EMA irá avaliar mais dados sobre a qualidade, segurança e eficácia do medicamento. A avaliação contínua continuará até que estejam disponíveis provas suficientes para que a empresa apresente um pedido formal de autorização de comercialização.

Nos estudos já realizados, quando administrado poucos dias após um teste positivo, o medicamento reduz para metade o risco de hospitalização e morte, de acordo com um ensaio clínico conduzido pela Merck, também conhecido como MSD fora dos EUA.

A agência avaliará ainda a conformidade do molnupiravir com as normas habituais da UE em matéria de eficácia, segurança e qualidade.

Uma revisão contínua é um instrumento regulador que a EMA utiliza para acelerar a avaliação de um medicamento ou vacina promissora durante uma emergência de saúde pública, sendo os dados revistos à medida que estes se tornam disponíveis a partir de estudos em curso.

A Covid-19 provocou pelo menos 4.941.032 mortes em todo o mundo, entre mais de 243,27 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse, divulgado na sexta-feira.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.133 pessoas e foram contabilizados 1.085.138 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de