Alemanha enfrenta aumento exponencial de infeções por Covid-19

As autoridade de saúde da Alemanha anunciaram esta sexta-feira que mais de 17.000 casos foram oficialmente notificados em 24 horas, mais cerca de 5.000 do que há uma semana.

A Alemanha enfrenta um aumento "claramente exponencial" do número de infeções por covid-19, devido sobretudo à disseminação da variante detetada inicialmente no Reino Unido, disse esta sexta-feira o vice-presidente do Instituto de Saúde Pública Robert Koch.

"É bem possível que tenhamos, na Páscoa, uma situação semelhante à que vivíamos antes do Natal, com um número muito alto de casos, muitos casos graves e mortes, e hospitais sobrelotados", alertou Lars Schaade em conferência de imprensa.

"Estamos na terceira vaga da pandemia, os números estão a aumentar e a quantidade de variantes é alta", acrescentou o ministro da Saúde, Jens Spahn.

As autoridade de saúde da Alemanha anunciaram esta sexta-feira que mais de 17.000 casos foram oficialmente notificados em 24 horas, mais cerca de 5.000 do que há uma semana.

A taxa de incidência atingiu esta sexta-feira as 95,6 pessoas por cada 100 mil habitantes (na quinta-feira eram de 90), estando muito próximo da taxa de 100, que desencadeia novas restrições.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e os líderes dos 16 Länder (estados regionais) vão reunir-se na segunda-feira para decidir se adotam novamente medidas restritivas, como encerramentos de atividades, fechamentos, depois da abertura decretada no início de março.

Ainda assim, a Alemanha conta interromper o aumento crescente do número de infeções com um reforço da campanha de vacinação, sendo que a administração do medicamento da farmacêutica AstraZeneca recomeça esta sexta-feira, depois de quatro dias de interrupção.

Mas "uma análise honesta da situação mostra que ainda não há vacinas suficientes na Europa para impedir a terceira vaga somente com vacinação", admitiu o ministro da Saúde.

"Mesmo que as entregas dos pedidos da União Europeia sejam agora cumpridas, vai levar várias semanas até que os grupos em risco sejam totalmente vacinados", acrescentou.

"Só então poderemos falar de uma abertura mais ampla da sociedade. Portanto, ainda vai ser preciso ter alguma paciência", pediu Jens Spahn.

"Podemos ver a coisa pelos prismas que quisermos, mas devemos voltar ao confinamento", defendeu o especialista em saúde do Partido Social Democrata, Karl Lauterbach, durante conferência de imprensa.

Desde o início da crise sanitária, a Alemanha já registou 74.358 mortos por covid-19 e 2.629.750 infetados, dos quais 2.401.700 recuperaram.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.682.032 mortos no mundo, resultantes de mais de 121,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de