Levantado o alerta de tsunami no Japão depois de sismo de magnitude 7,2

O abalo teve origem a 60 quilómetros de profundidade. A capital, Tóquio, também foi afetada.

As autoridades japonesas levantaram o alerta de tsunami que tinha sido emitido depois de um terramoto de magnitude 7,2 na escala de Richter ter abalado este sábado o nordeste do país.

Segundo avança a agência de notícias espanhola EFE, as autoridades japonesas já levantaram o alerta de tsunami que tinha sido emitido no país, depois de um terramoto de magnitude de 7,2, com epicentro no mar frente à costa de Miyagi, a 60 quilómetros de profundidade, que ocorreu às 18h09, hora local, (09h09 GMT, mesma hora em Lisboa).

A televisão estatal NHK adianta que, minutos depois do sismo, verificou-se uma subida do nível do mar em cerca de um metro, junto à costa de Miyagi, mas não foram registadas mais ocorrências na região nordeste do arquipélago.

Shichigahama e Watari foram evacuadas pelas autoridades, com 25 mil pessoas a terem de ser deslocadas, sendo que a restante população daquela região foi aconselhada a evitar aproximar-se do mar.

O sismo foi sentido com um nível de intensidade cinco na escala nipónica, que tem um grau máximo de sete.

Na área metropolitana da Tóquio, fez-se sentir com um grau de intensidade no nível três, mas noutras regiões do nordeste do país sentiu-se no nível cinco.

Entra elas está o município de Fukushima, onde se encontra a central nuclear, que, a 11 de março de 2011 foi fortemente afetada por um sismo de magnitude 9, na escala de Richter, que causou um acidente nuclear.

A operadora desta central, a Tokyo Electric Power, já informou que não foram detetadas nenhumas anormalidades, nem nesta central nem nas de Fukushima Daiichi, e que os níveis de radioatividade se mantêm inalterados.

Passam dez anos desde o terramoto com magnitude 9,0, que se sentiu a 11 de março de 2011 e que espoletou um tsunami.

O Japão faz parte do Anel de Fogo do Pacífico, um arco com intensidade atividade sísmica e regularmente sofre o impacto de tremores de terra. Por esse motivo, os edifícios japoneses são construídos de forma a melhor resistirem aos sismos.

* Atualizado às 12h15

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de