"Até arrombaram o meu cofre." FBI faz buscas na mansão de Donald Trump na Flórida

Ex-Presidente norte-americano atira-se "aos democratas" e à má conduta do Departamento de Justiça. Autoridades ainda não confirmaram o objetivo das buscas.

PorTSF/Lusa

A mansão de Donald Trump, em Mar-a-Lago, Palm Beach, no estado da Florida|

 foto AFP

Polícia à porta da casa de Trump em Mar-a-Lago|

 foto Jim Rassol/EPA

Polícia à porta da casa de Trump em Mar-a-Lago|

 foto Jim Rassol/EPA

O antigo presidente dos EUA Donald Trump afirmou que o FBI estava esta segunda-feira a fazer buscas na sua propriedade imobiliária em Mar-a-Lago, um resort de luxo em Palm Beach, Flórida.

Até ao momento, as circunstâncias das buscas não são claras, mas a imprensa norte-americana adianta que a polícia procurou documentos desaparecidos dos Arquivos Nacionais. Esta informação foi, entretanto, confirmada à Fox News por um dos filhos de Trump.

"Depois de trabalhar e cooperar com as agências governamentais relevantes, estas buscas não anunciadas na minha casa não são necessárias nem apropriadas", disse Trump, numa longa declaração.

"Nada disto já tinha acontecido com um Presidente dos EUA", acrescentou Donald Trump, que não estava em casa no momento da operação do FBI.

Ouça aqui as explicações do jornalista Rui Cid

Your browser doesn’t support HTML5 audio

O republicano considera que estas buscas são "um ataque de democratas de esquerda radical que desesperadamente não querem que concorra à presidência em 2024".

Depois de conhecida a notícia da ação do FBI, algumas pessoas foram para as imediações da residência oficial de Trump, a maioria apoiantes do antigo Chefe de Estado, mas, em Mar-a-Lago, esteve também quem celebrasse a operação.

Nas últimas horas, têm surgido inúmeras reações. Vários congressistas republicanos manifestaram apoio a Trump, criticando a conduta do Departamento de Justiça norte-americano.

Kevin McCarthy, o líder do partido na câmara dos representantes, diz que "o que já chega, já chega".

Do lado dos democratas, a congressista Carolyn Maloney, que lidera a Comissão de Fiscalização que investiga o tratamento de documentos por parte de Donal Trump, afirma que os presidentes têm o dever solene de proteger a segurança nacional e que as alegações contra o antigo Chefe de Estado merecem o maior escrutínio.

Até agora, o FBI não prestou qualquer informação sobre esta operação na residência oficial de Donald Trump.

O Departamento de Justiça tem estado a investigar a descoberta de caixas com informação classificada que foram levadas para Mar-a-Lago depois de terminada a presidência Trump.

Uma investigação separada relacionada com os esforços dos aliados de Trump para anular os resultados das eleições presidenciais de 2020 e o assalto ao Congresso, em 6 de janeiro de 2021, também se está a intensificar em Washington.

* Notícia atualizada às 07h40

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG