Irmãos Klitschko: pesos-pesados em Madrid reabrem discurso incómodo para a NATO

Heróis ucranianos na política pós-Maidan (2014), os irmãos Klitschko partiram a loiça em Madrid. Querem que a porta da NATO continue aberta para a Ucrânia, chamam terrorista a Putin e classificam a guerra de "genocídio".

PorRicardo Alexandre, enviado especial em Madrid
© AFP

Heróis nacionais na Ucrânia, os irmãos Klitschko vieram a Madrid agradecer o apoio e criar polémica. Ambos antigos pugilistas, Wladimir foi campeão mundial de pesos pesados, Vitali é o presidente da Câmara de Kiev.

"Esperamos apoio à Ucrânia e quero agradecer muito a todos os países e a quem apoia a Ucrânia, precisamos da ajuda dos nossos parceiros, precisamos da ajuda do mundo democrático para esta guerra sem sentido. O nosso desejo é ser um país democrático europeu moderno, e a Federação Russa quer trazer-nos de volta para o tempo soviético. E é por isso que é muito importante para a Ucrânia ouvir o vosso apoio, ter apoio humanitário, apoio político, é muito importante que possamos ter armas defensivas para defendermos o nosso país", diz o autarca da capital ucraniana, rodeado de jornalistas na sala de imprensa da Cimeira de Madrid.

Questionado pela TSF se sente que a situação, está pior para a Ucrânia, a cada dia que passa, Klitschko responde: "Apenas há alguns minutos, o ataque de rockets foi em Dnipro. Ontem, como você sabe, foi destruído um centro comercial em Kremenchuck. Mais de 20 pessoas morreram, há 40 pessoas desaparecidas, é genocídio."

Ao lado, o irmão, Wladimir reabriu uma porta que se julgava que a Ucrânia já tinha fechado: precisamente a entrada do país na NATO. "Se algum político fala em conversar com a Rússia para encontrar um compromisso, encontrar uma solução, não sabemos do que falam. Qual solução? Pretendem abrir mão de alguma parte do território ucraniano? Não é uma solução. Não há compromisso para isso. Estaremos prontos para falar com os russos se o último soldado russo tiver deixado o território da Ucrânia e logo depois disso, mas muito importante: a porta para a Ucrânia entrar para a NATO deve continuar aberta. É muito importante, é uma mensagem e uma expectativa muito importante para a Ucrânia." Um discurso que o próprio Volodymyr Zelensky já defendeu.

Os irmãos Klitschko vieram à cimeira da NATO dizer que a guerra tem de parar já, que o regime russo é terrorista e que para haver paz a NATO precisa ter armas defensivas... E até ofensivas.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG