Isolar até testar negativo. Reino Unido aperta regras na chegada de passageiros

Máscaras voltam a ser obrigatórias nas lojas e transportes públicos. Medidas devem ser revistas daqui a três semanas.

PorTSF com agências
© Hollie Adams/AFP

Todos os passageiros que aterrem no Reino Unido vão ser obrigados a isolar-se até que consigam apresentar um teste PCR negativo à Covid-19. A medida foi anunciada este sábado pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, que anunciou também o regresso do uso obrigatório de máscaras em lojas e nos transportes públicos.

"Temos agora de ir mais longe e implementar um novo regime de testes", disse Johnson numa conferência de imprensa organizada em pouco tempo e apenas algumas horas depois de terem sido confirmados os dois primeiros casos da nova variante Omicron na Grã-Bretanha. Os viajantes vacinados que entrem no país vão ter de fazer um teste PCR em vez do de antigénio, como sucedia até aqui.

"As novas regras acrescentam a exigência de isolamento enquanto se aguarda um resultado negativo, tornando o regime significativamente mais duro, numa tentativa de travar a propagação da nova estirpe", disse o primeiro-ministro britânico, que promete rever as medidas dentro de três semanas, ainda antes do Natal.

"Neste momento, esta é uma linha de ação responsável", acrescentou, antes de expressar alguma esperança num Natal mais festivo do que o do último ano.

Boris Johnson, que antes do verão tinha levantado todas as limitações em Inglaterra, sublinhou na conferência de imprensa a importância de "ganhar tempo", minimizando os contágios, até que os peritos determinem o efeito da nova variante, que, disse, "parece transmitir-se muito rapidamente" e "entre pessoas com a vacinação completa".

Os dois casos de contaminação com a nova variante do coronavírus SARS-CoV-2 foram detetados em pessoas "ligadas a uma viagem à África do Sul", tinha anunciado previamente o Ministério da Saúde britânico.

"A agência de segurança sanitária britânica [UKHSA, na sigla em inglês] confirmou que dois casos de covid-19 com mutações compatíveis com B.1.1.529 foram identificados no Reino Unido", revelou o ministério num comunicado.

Na nota acrescenta-se que as zonas afetadas são a localidade de Chelmsford, no condado de Essex, próximo de Londres, e a cidade de Nottingham, no centro de Inglaterra.

O ministro da Saúde britânico, Sajid Javid, anunciou que mais quatro países passaram a estar incluídos na lista de territórios cujos habitantes, a partir das 04:00 TMG de domingo (mesma hora em Lisboa), não podem viajar para o Reino Unido (a não ser que se tratem de cidadãos britânicos e que devem observar uma quarentena num hotel designado).

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG