Reminiscências da erupção em Tonga. Gigantesca mancha de petróleo atinge costa peruana

Foi detetado no Peru um grande derrame de petróleo que pode ainda ser consequência da erupção vulcânica em Tonga.

PorGuilhermina Sousa

Mancha de petróleo na costa peruana|

 foto AFP

Mancha de petróleo na costa peruana|

 foto AFP

Uma mancha de petróleo com pelo menos 18 mil metros quadrados de área está a causar graves danos ambientais no Peru. O derramamento pode ser uma consequência da explosão do vulcão submarino em Tonga. As autoridades no Peru estão preocupadas com os possíveis "danos muito sérios para o ambiente".

A gigantesca mancha de petróleo está a afetar praias, áreas protegidas e a fauna marinha, na província de Callao, na costa peruana do Pacífico. O Ministério peruano do Ambiente denuncia que o derramamento está a afetar uma área vasta, e já há animais cobertos de petróleo.

Ouça a explicação.

Your browser doesn’t support HTML5 audio

A chegada deste composto de hidrocarbonetos às praias do Peru é atribuída às ondulações anómalas produzidas pela erupção vulcânica em Tonga. O desastre ambiental aconteceu no sábado, quando um petroleiro com uma bandeira italiana estava a descarregar numa refinaria da espanhola Repsol.

A refinaria já garantiu tudo estar a fazer para reduzir ao mínimo o impacto desencadeado. A empresa afirma que instalou 1,5 km de barreiras para travar o avanço da mancha de combustível nas áreas afetadas. Outra das ações promovidas pela refinaria é o recurso a lanchas com equipas que tentam recolher o petróleo derramado.

Perto de 30 pescadores e residentes do distrito de Ventanilla, em Callao, realizaram um protesto em frente à refinaria, exigindo ação por parte da empresa. Miguel Ángel Núñez, líder de um dos sindicatos de pescadores da região, adiantou à imprensa no local que o derramamento "está a afetar e a contaminar a biodiversidade das águas", noticia a agência France Press. Há também aves que continuam a ser resgatadas com os corpos cobertos por petróleo.

Foram três as praias afetadas pelo derramamento no distrito costeiro de Ventanilla del Callao, e o impacto estende-se ainda a duas reservas naturais protegidas no Oceano Pacífico. O Ministério Público do país abriu uma investigação por crime de "contaminação ambiental" contra os representantes legais e funcionários da refinaria.

Quatro dias depois da erupção do vulcão submarino, as autoridades de Tonga anunciaram que a região ficará isolada durante um mês. Será necessário reparar um cabo submarino de comunicações, que liga o arquipélago ao mundo, mas essa reparação deverá demorar quatro semanas.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG