UE avisa Rússia para "consequências pesadas", mas via diplomática "está em curso"

MNE afirma que Portugal "honrará responsabilidades" no domínio da NATO.

PorJoão Francisco Guerreiro, correspondente em Bruxelas
© Lusa

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva garante que a União Europeia está a trabalhar para evitar "um conflito armado", com a Rússia, em solo europeu.

"Estamos longe de considerar que esteja esgotada a via política e diplomática, pelo contrário, ela está em curso", afirmou o ministro, vincando, porém, que "qualquer violação da Rússia, da integridade territorial da Ucrânia terá consequências pesadas".

"Estamos preparados", alertou o ministro dos Negócios Estrangeiros, embora considere que a via do diálogo deve ser privilegiada. Santos Silva também considera que não há razões para a retirada de diplomatas portugueses de Kiev, ao contrário da decisão anunciada pelos Estados Unidos

"Temos uma embaixada de pequena dimensão, no que diz respeitos ao pessoal diplomático e, no que diz respeito à secção consular, aí trabalham, sobretudo, funcionários locais, de nacionalidade ucraniana", descreveu o ministro, considerando que "nem nós, nem nenhum outro Estado-Membro da União Europeia vai proceder à evacuação, do seu pessoal diplomático".

O ministro afirma que o governo está também a acompanhar e em contacto como cidadãos portugueses na Ucrânia, em particular os que residem próximo da fronteira com Rússia, onde permanece "cerca de uma dezena" de portugueses.

"Só um número muito residual, cerca de uma dezena, vive no leste da Ucrânia, designadamente, na região do Donbass, e com eles temos um especial contacto, para averiguar as suas condições de segurança e de bem estar", disse o ministro.

Reforço militar

Entretanto, a Aliança Atlântica tem estado a reforçar o dispositivo militar junto às fronteiras com a Rússia. A Dinamarca enviou uma fragata para o Báltico, e caças F16 para a Lituânia. Espanha deve juntar-se ao dispositivo naval e, calmo como os países baixos, enviar jatos de combate para a Bulgária. França está preparada para enviar tropas para a Roménia.

Questionado sobre se Portugal vai participar no reforço da presença militar nos países da região, o ministro assegurou que serão "honrados" os compromissos.

"Portugal tem responsabilidades próprias no domínio da NATO e honrará essas responsabilidades", garantiu Santos Silva sem concretizar de que forma se pode materializar a resposta portuguesa ao compromisso no âmbito da Aliança Atlântica.

Videoconferência

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der leyen, o presidente do Conselho Europeu reunem-se esta noite com o presidente dos Estados Unidos Joe Biden, com o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg e com vários aliados europeus, como a Alemanha, França e Itália, numa videoconferência em que participará também o Reino Unido.

A União Europeia mantém o aviso de sanções em larga escala no caso da situação se degradar. Mas, o ministro Augusto Santos Silva espera que ainda seja possível evitar um conflito armado.

"Esperamos todos que não esteja iminente uma crise de segurança na Europa de leste, designadamente com contornos militares, conflitos armados", afirmou.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG