Rússia preparada para retomar negociações. Veto turco atrasa adesão da Finlândia à NATO

A guerra obrigou mais de 14 milhões de pessoas a fugir de casa, incluindo mais de 6,3 milhões a sair do país. Siga ao minuto na TSF.

PorTSF
© AFP

Finlândia admite que veto turco atrasará adesão à NATO em "várias semanas"

​​​​​​​O ministro dos Negócios Estrangeiros da Finlândia, Pekka Haavisto, admitiu este domingo que veto turco à integração do país na NATO atrasará em "várias semanas" o processo de adesão.

A Turquia, enquanto membro da Aliança Atlântica, tem ameaçado vetar a entrada da Suécia e da Finlândia após acusar ambos os países de manterem ligações com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), com o qual está em guerra há várias décadas e que considera um "grupo terrorista".

LER MAIS

Rússia garante estar preparada para retomar negociações de paz

A Rússia está preparada para retomar as negociações de paz com a Ucrânia. O negociador russo Vladimir Medinsky disse este domingo à televisão bielorrussa que o país "nunca recusou conversações".

"Da nossa parte, estamos preparados para continuar o diálogo", disse Medinsky, citado pela Associated Press.

LER MAIS

Ucrânia pede lançadores MLRS e armas pesadas para desbloquear Mar Negro

O assessor da presidência ucraniana, Mijailo Podolyak, pediu hoje lançadores MLRS (Multiple Launch Rocket System) e armas pesadas para desbloquear a situação no Mar Negro e permitir, assim, a exportação de alimentos.

Segundo a agência Efe, Mijailo Podolyak rejeitou hoje as negociações com a Rússia sobre comboios internacionais de abastecimento de alimentos no Mar Negro e garantiu que a Ucrânia, com vários lançadores de foguetes MLRS, é capaz de desbloquear os portos.

"Negociar com um país que fez centenas de milhões de reféns? Temos uma ideia melhor: o mundo deve concordar com a entrega à Ucrânia de sistemas MLRS e outras armas pesadas necessárias para desbloquear o Mar Negro. Faremos tudo nós mesmos", sublinhou.

Mulheres ucranianas unem-se para tentar encontrar maridos e filhos

Mulheres e mães de soldados ucranianos tentam recuperar os corpos dos seus maridos e filhos desaparecidos ou mortos na frente de combate, uma busca dificultada por falta de informações e que se estende durante várias semanas.

Essas mulheres recorrem à sede da Organização de Mães de Soldados de Kiev para obter ajuda, procurando trazer de volta os ucranianos mortos nos combates desde o início da invasão russa, em fevereiro, segundo uma reportagem da Efe.

LER MAIS

Destroços de guerra são atração no centro de Kiev

Três tanques do exército russo destruídos pelas forças ucranianas estão agora em exposição numa das mais emblemáticas praças de Kiev, perto do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

LER MAIS

Papa Francisco pede aos líderes mundiais paz em vez de raiva

O Papa Francisco pediu este domingo paz para os líderes das nações, defendendo que se deve sobrepor à raiva e à intolerância.

"Quanto mais agitado sentirmos o coração, quanto mais sentirmos nervosismo, intolerância e raiva, mais devemos pedir paz ao Senhor", declarou o líder da Igreja Católica antes da oração Regina Coeli, que substitui o Angelus durante o período pascal.

Francisco declarou que "nenhum pecado, nenhum fracasso e nenhum rancor deve desanimar na hora de pedir o dom do Espírito Santo".

LER MAIS

Rússia destruiu 58 infraestruturas civis na região de Donetsk

As tropas russas bombardearam nas últimas 24 horas 12 zonas residenciais da região de Donetsk, no leste da Ucrânia, destruindo 58 infraestruturas civis, indicou a Polícia Nacional ucraniana.

"Num só dia, os russos destruíram 58 infraestruturas civis na região de Donetsk. As forças ocupantes dispararam contra 12 localidades. Há mortos e feridos", refere a polícia ucraniana através de um comunicado publicado na plataforma Telegram e difundido pela agência de notícias Ukrinform.

Segundo a agência de notícias espanhola EFE, o comunicado acrescenta que "foram destruídos mais de 40 edifícios residenciais, uma escola, uma escola de música, um instituto, empresas e instalações críticas".

Rússia afirma ter destruído seis postos de comando com ataques aéreos

O Ministério da Defesa da Rússia afirmou hoje ter destruído seis postos de comando do exército ucraniano no sábado, três dos quais com mísseis e outros três com ataques da aviação.

"Em resultado dos ataques aéreos, foram aniquilados mais de 210 nacionalistas e destruídas 38 unidades de armamento pesado", afirmou o porta-voz do ministério, Igor Konashenkov.

Referiu ainda que foram destruídos cinco arsenais nas regiões de Donetsk e Lugansk, no leste da Ucrânia, e que as armas antiaéreas russas destruíram onze 'drones' ucranianos.

LER MAIS

Rússia adverte para "teatro de operações militares" na região do Ártico

A Rússia advertiu hoje que a região do Ártico está a converter-se num "teatro internacional de ações militares", tendência que classificou como "muito alarmante".

"Vemos como aumenta a atividade militar internacional nas altas latitudes. Há una internalização da atividade militar", disse o embaixador russo de missões especiais, Nikolai Korchunov, em declarações à agência oficial russa RIA Novosti.

O diplomata, que preside ao comité de altos cargos do Conselho do Ártico, acrescentou que a "conversão da região ártica" num teatro internacional de ações militares é "muito alarmante".

LER MAIS

Sérvia procura novo acordo com Putin para garantir gás russo

O Presidente da Sérvia disse no sábado que Belgrado vai evitar alinhar-se com as sanções ocidentais contra a Rússia enquanto puder e falará com o homólogo russo para assinar um novo acordo de fornecimento de gás.

"O nosso dever é lutar pelo nosso país, mantermo-nos fiéis às decisões escritas pelo Conselho de Segurança Nacional, tanto quanto pudermos e enquanto pudermos", disse Aleksandar Vucic.

Vucic disse esperar discutir o fornecimento de gás com o seu homólogo russo, Vladimir Putin, na próxima semana.

LER MAIS

Donetsk identifica 78 mulheres entre combatentes capturados em Azovstal

Forças de Donetsk, aliadas do exército russo na invasão da Ucrânia, identificaram 78 mulheres entre os combatentes ucranianos capturados no complexo siderúrgico Azovstal, o último bastião remanescente na cidade de Mariupol, no leste do país.

A informação foi confirmada pelo líder da autoproclamada República Popular de Donetsk, Denis Pushilin, que afirmou igualmente, citado pela agência noticiosa russa TASS, que há estrangeiros entre os capturados, embora não tenha precisado o número.

LER MAIS

Fórum de Davos regressa após dois anos de interrupção sem representantes da Rússia

O Fórum Económico Mundial regressa este domingo, depois de mais de dois anos depois da última edição, um regresso marcado por um contexto de incerteza devido à guerra na Ucrânia.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, fará o discurso de abertura por videoconferência e para esta edição não foi convidado qualquer representante do Governo ou de empresas russas.

LER MAIS

Abrimos este liveblog para acompanhar ao minuto a situação da guerra na Ucrânia. Pode ler o essencial das últimas 24 horas aqui.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG