Análises mostram que sandes de atum da Subway podem não conter atum

Está em marcha um processo contra a cadeia de restaurantes Subway, por alegadamente vender sandes de atum que contêm uma mistura sem o peixe.

As suspeitas já estavam instaladas, desde que, em janeiro, um processo deu entrada no Tribunal Distrital dos Estados Unidos, na Califórnia, com acusações à cadeia de restaurantes Subway. O jornal Washington Post noticiou, nessa altura, que a acusação alegava que o "atum" das sandes era na verdade "uma mistura de várias misturas que não constituem atum, mas que foram misturadas pelos réus para imitar a aparência do atum".

O enredo ficou agora ainda mais intrincado depois de um jornalista do New York Times ter despendido "mais de 60 dólares [50 euros] em sandes de atum da Subway" em três lojas de Los Angeles e, em seguida, ter contratado um laboratório especializado em testes de peixes.

A publicação norte-americana adianta que os investigadores não conseguiram identificar uma espécie na mistura. "Há duas conclusões que se podem tirar", admitiu um porta-voz do laboratório ao NYT. "Uma delas é que é tão pesadamente processado que, independentemente do que pudemos tirar, não poderíamos fazer uma identificação. Ou então nós temos pouca amostra e não há lá nada que não seja simplesmente atum."

Em fevereiro, quando a Inside Edition fez uma análise semelhante tendo por base amostras recolhidas em Nova Iorque, um laboratório da Florida, a Applied Food Technologies, confirmou a presença de atum.

A Subway, que tem mais de 22 mil lojas nos Estados Unidos, tem sido alvo de ações legais, incluindo uma ação coletiva que diz que as suas sandes não têm o comprimento que tem sido promovido. A cadeira de restaurantes defende, no entanto, a integridade do seu abastecimento de atum, classificando como "infundada" a mais recente acusação.

No início deste ano, a empresa promoveu o seu "atum 100% real selvagem" no site, mas a acusação garante que "a rotulagem, o marketing e a publicidade" dos produtos de atum da Subway são "falsos e enganosos".

O caso já fez disparar a preocupação junto dos consumidores e até mereceu respostas por parte dos concorrentes. Outras cadeias que comercializam sandes apontaram que o atum é uma carne relativamente barata, e que, por isso, a Subway tem poucos motivos para substituí-lo por uma versão mais barata.

Especialistas em frutos do mar também consideraram que a Subway pode não ser culpado caso o atum que venda não seja mesmo atum. "Não acredito que um restaurante erraria intencionalmente", sustentou Dave Rudie, em declarações ao New York Times. "A empresa compra uma lata de atum que diz 'atum'. Se houver alguma fraude neste caso, aconteceu na fábrica de conservas. "

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de