Antifascistas protegem "indefesos" na manifestação de Nashville

Centenas de pessoas juntam-se frente à Universidade de Belmont na cidade de Nashville, Tennessee, para apoiar os dois candidatos às eleições de novembro: Joe Biden e Donald Trump.

Jovens antifascistas armados juntam-se à concentração frente ao local onde vai decorrer o debate presidencial norte-americano em Nashville para proteger "os indefesos" contra os supremacistas.

"Sinto-me muito segura por usar uma arma. Quem me dera não estar armada, mas infelizmente quando temos à nossa volta pessoas que defendem o genocídio e que estão sempre a munir-se com armas de fogo e já dispararam contra manifestantes nós temos de estar presentes para proteger os indefesos. O nosso trabalho é a defesa civil", diz à Lusa uma ativista antifascista armada com uma pistola automática frente ao local onde vai decorrer o debate presidencial norte-americano e que pediu para não ser identificada.

Centenas de pessoas juntam-se frente à Universidade de Belmont na cidade de Nashville, Tennessee, para apoiar os dois candidatos às eleições de novembro: Joe Biden pelos democratas, Donald Trump pelos republicanos.

A questão do racismo e da violência policial são assuntos que marcam a campanha eleitoral assim como a organização de grupos supremacistas que apoiam a recandidatura de Donald Trump à Casa Branca.

"Aqui no Tennessee há muitos grupos de supremacistas brancos e grupos racistas cujo objetivo é criar um 'estado de etnia branca'. Há aqui há um grande número de supremacistas brancos. Estamos muito familiarizados com este tipo de situação no Tennessee. Sabemos que temos este tipo de problema e acreditamos que não podemos esquecer o que aconteceu da última vez em que o fascismo cresceu", afirma a mesma ativista.

Os inúmeros grupos "antifa" (antifascistas) são sobretudo constituídos por jovens de ambos os sexos que se apresentam com a passa-montanhas, vestidos de preto e neste caso armados com pistolas.

Mostram-se claramente contra a candidatura de Donald Trump que "não condenou os supremacistas" no último debate televisivo com Joe Biden.

No estado do Tennessee os antifascistas receiam que se venham a verificar atos irregulares de intimidação sobretudo nas assembleias de voto das zonas mais desfavorecidas.

"Receamos ver intimidações no dia das eleições junto das assembleias de voto por parte de milícias e grupos supremacistas, com incidência nas zonas mais pobres habitadas por negros", diz a ativista que se vai manter frente à Universidade Belmont até ao final do debate.

"Gostava de estar a fazer outra coisa noutro sítio, mas infelizmente as coisas acontecem e se pudermos proteger as pessoas é o que vamos fazer", conclui, enquanto que apoiantes de Joe Biden gritam em defesa dos direitos cívicos.

Do outro lado da rua, os apoiantes de Trump lançam palavras de ordem contra a emigração. As manifestações prolongam-se há várias horas e continuam no momento em que anoiteceu em Nashville.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de