António Guterres condena ataque racista em Buffalo que causou dez mortos

Guterres mostrou-se "chocado" com o ataque, que vitimou dez pessoas, num "desprezível ato de extremismo racista e violento".

O Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, condenou veementemente o assassínio de dez pessoas num supermercado em Buffalo, no nordeste dos Estados Unidos, disse o seu porta-voz no domingo.

"O secretário-geral da ONU está chocado com o assassínio de dez pessoas após um desprezível ato de extremismo racista e violento em Buffalo", disse o porta-voz adjunto da ONU, Farhan Haq, num comunicado.

O secretário-geral "expressou também condolências às famílias e entes queridos das vítimas, e manifestou ao mesmo tempo esperança de que fosse feita justiça em breve", acrescentou.

O Presidente dos Estados Unidos da América, Joe Biden, visita na terça-feira a cidade de Buffalo.

De acordo com um manifesto divulgado na Internet, cuja autoria é atribuída ao suposto atirador, Payton Gendron escolheu conscientemente aquele bairro da cidade porque é habitado maioritariamente por população negra.

Os tiroteios e mortes em locais públicos são quase diários nos Estados Unidos e o crime com armas de fogo está a aumentar em grandes cidades como Nova Iorque, Chicago, Miami e São Francisco, especialmente desde o início da pandemia de Covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de