Arquipélago no Ártico registou o dia mais quente dos últimos 40 anos

Temperatura na ilha de Svalbard, conhecida pelos ursos polares, ultrapassou os 20 graus.

O arquipélago norueguês de Svalbard, no Ártico, registou este sábado temperaturas acima de 20 graus Celsius, a mais quente dos últimos 40 anos e quase igual ao recorde absoluto, disse o Instituto Meteorológico da Noruega.

Com um pico de 21,2 graus Celsius, Svalbard, um território norueguês, banhado pelo oceano Glacial Ártico, experimentou este sábado o segundo dia mais quente desde que há registos meteorológicos.

O recorde absoluto da mais alta temperatura no arquipélago foi conseguido em 16 de julho de 1979, quando os termómetros atingiram 21,3 graus Celsius.

O pico de calor deve manter-se até segunda-feira, muito acima das médias sazonais de julho, o mês mais quente do Ártico, que se situam entre os 05 e os 08 graus Celsius.

O verão de 2020 na região tem sido marcado por episódios de calor elevado, com a região russa do Ártico a atingir 05 graus Celsius acima do normal, tendo os termómetros chegado aos 38 graus, no início de julho.

De acordo com um recente relatório oficial norueguês "Clima em Svalbard 2100", a temperatura média em Svalbard para o período 2070-2100 deve aumentar entre 7 e 10 graus Celsius em comparação com o período 1970-2000.

A mudança já é visível, segundo o relatório, que revela que "de 1971 a 2017, foi observado um aquecimento de 03 a 05 graus Celsius, os maiores aumentos no inverno".

Conhecida pelos seus ursos polares, Svalbard abriga uma mina de carvão, a energia que emite mais gases de efeito estufa, e uma "Arca de Noé vegetal", inaugurada em 2008 para proteger as plantas das mudanças climáticas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de