As 39 pessoas encontradas mortas num contentor eram chinesas. Condutor do camião continua detido

A nacionalidade das vítimas foi confirmada pela polícia britânica e pelo ministro chinês dos Negócios Estrangeiros. Os corpos foram encontrados dentro do contentor de um camião, num parque industrial no Reino Unido.

Os corpos de 39 pessoas que foram encontradas sem vida num camião, esta quarta-feira, no Reino Unido, pertenciam a cidadãos chineses. O camião, que transportava um contentor com os 39 cadáveres, foi encontrado durante a madrugada, na zona do Parque Industrial de Waterglade em Grays (condado de Essex), a leste de Londres.

As autoridades britânicas revelaram,esta quinta-feira, que as 39 pessoas encontradas - 38 adultos e um adolescente (entre os quais oito mulheres) - tinham nacionalidade chinesa. A informação foi também confirmada pelo ministro dos Negócios Estrangeiros chinês ao jornal Global Times.

Esta quarta-feira, a polícia britânica abriu uma investigação e as suspeitas apontam para tráfico humano. O condutor do camião, que foi detido pela suspeita de homicídio, mantém-se sob custódia policial. Trata-se de Mo Robinson, um homem de 25 anos, residente na cidade de Portadown, na Irlanda do Norte.

A polícia britânica esclareceu que está a realizar buscas em três propriedades na Irlanda do Norte, na zona onde vivia o condutor do camião.

As autoridades informaram que o camião entrou no Reino Unido na noite de terça para quarta-feira, pelo porto de Purfleet, no rio Tamisa, vindo de Zeebruges, na Bélgica.

O camião está registado na Bulgária, mas é propriedade de uma empresa detida por uma mulher de nacionalidade irlandesa, de acordo com o Governo búlgaro. O camião da marca sueca Scania está registado na cidade portuária búlgara de Varna, junto ao Mar Negro, mas essa será a única ligação ao país, onde não há registo de passagem do veículo desde 2017.

Notícia atualizada às 12h38

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de