Astrónomos identificam vestígios de água num cometa interestelar

O cometa "2I/Borisov", que estará mais próximo do Sol em dezembro, foi detetado no Sistema Solar por especialistas depois do alerta, a 30 de agosto, de um astrónomo amador, Gennadiy Borisov, natural da Crimeia, para um objeto estranho no céu.

Astrónomos identificaram pela primeira vez vestígios de água extraterrestre num cometa que chegou ao Sistema Solar proveniente do espaço interestelar, divulgou na quarta-feira a revista científica Nature.

O cometa "2I/Borisov", que estará mais próximo do Sol em dezembro, foi detetado no Sistema Solar por especialistas depois do alerta, a 30 de agosto, de um astrónomo amador, Gennadiy Borisov, natural da Crimeia, para um objeto estranho no céu.

Em meados de outubro, a Nature divulgou a descoberta, adiantando que o cometa, proveniente de um sistema solar desconhecido dada a sua órbita, apresentava na cauda poeira de cor avermelhada. Além de poeira, os cometas são formados por gelo e, por isso, contêm água no seu núcleo.

A novidade no cometa "2I/Borisov" - o segundo objeto interestelar a ser detetado no Sistema Solar depois do asteroide "Oumuamua", com a forma de um charuto, em 2017 - é que a identificação de sinais de água pode revelar-se um passo importante para compreender como a água "viaja" entre as estrelas.

Uma equipa de astrónomos liderada por Adam McKay, da agência espacial norte-americana NASA, detetou a assinatura de oxigénio no espetro de luz do cometa em 11 de outubro.

Apesar de os cometas poderem produzir oxigénio de diferentes formas, a equipa apresenta como explicação para a deteção da assinatura de oxigénio no "2I/Borisov", um dos componentes da água, o facto de as moléculas de oxigénio se separarem das de hidrogénio, que entra também na composição química da água.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados