Ataque com químico corrosivo em escola chinesa deixa 54 feridos

Um homem de 23 anos identificado como Kong entrou nas instalações de um infantário e pulverizou as vítimas com um químico corrosivo, armazenado em latas de spray.

Um total de 51 crianças e três educadores ficaram feridos, entre os quais dois em estado grave, após um ataque com soda cáustica num infantário em Kaiyuan, no sul da China, informaram esta terça-feira as autoridades.

O ataque ocorreu na segunda-feira à tarde, quando um homem de 23 anos identificado como Kong entrou nas instalações e pulverizou as vítimas com aquele químico corrosivo, que armazenou em latas de spray.

O suspeito foi detido uma hora após os eventos, segundo a imprensa local.

A polícia revelou que o homem estava desempregado e sofria de "problemas psicológicos", devido ao divórcio dos pais, que levaram a "uma mentalidade pessimista e vingativa".

Trata-se do mais recente ataque do género na China, onde estes incidentes são normalmente protagonizados por pessoas com problemas psicológicos ou ressentimentos para com a sociedade.

Embora a China seja, no geral, um país seguro, estes ataques em locais públicos, sobretudo escolas, são relativamente comuns.

Em abril passado, um professor de um jardim-de-infância na província de Henan, centro da China, foi preso por envenenamento deliberado de 23 crianças entre os 4 e 5 anos de idade, das quais uma teve que ser hospitalizada em estado grave.

No mesmo mês houve também um ataque com faca numa escola da província de Hunan, que resultou em duas crianças mortas e outras duas feridas.

A lei chinesa proíbe rigorosamente a venda e posse de armas de fogo, pelo que os ataques são geralmente feitos com facas, explosivos de fabrico artesanal ou por atropelamento.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados